Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Austrália: 30 milhões para salvar os coalas

Mundo

Dezenas de koalas morrem por atropelamento nas estradas todos os anos

Philippe Clément

Atropelados por carros, atacados por cães e doenças e, claro, vítimas das alterações climáticas, a população de Coalas tem vindo a diminuir drasticamente

Devido à diminuição drástica do número destes animais que também são um símbolo do país, o governo de Nova Gales do Sul, um dos Estados da Austrália, vai investir 30 milhões de euros para salvar os coalas.

A população dos marsupiais caiu cerca de 26% nos últimos 15 anos e a Fundação Coala da Austrália estima que apenas permaneçam em estado selvagem 43 mil exemplares em Nova Gales do Sul – no séc. XVIII chegaram a ser mais de 10 milhões.

“Os coalas são um tesouro nacional, seria lastimável que o futuro deste ícone não fosse assegurado”, referiu Gladys Berejiklian, a primeira-ministra deste estado, durante a apresentação do programa para a preservação dos animais.

A União Internacional de Conservação da Natureza considera-os como “espécie vulnerável”.

A diminuição destes animais justifica-se pelas alterações climáticas, perda de habitat, ataques de cães, incêndios florestais, acidentes com automóveis e doenças.

Em alguns locais da Austrália já não existem coalas.

Para pôr em prática este programa de proteção, o Governo vai providenciar milhares de hectares para que possam viver no seu habitat natural. O dinheiro vai, também, ser investido para combater algumas doenças que afetam normalmente a espécie, como a clamídia (uma doença de transmissão sexual que causa cegueira, infertilidade e morte), assim como para a proteção de algumas bermas de estrada classificadas de perigosas para os coalas, já que estes animais movimentam-se de forma muito lenta, tendo dificuldade em desviar-se rapidamente de um automóvel.