Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Casa Branca desmente iminência de ataque à Síria e diz que tem "outras opções"

Mundo

Getty Images

A Casa Branca desmentiu a iminência de um ataque contra o Governo do Presidente sírio Bashar Al Assad e insistiu que o chefe de Estado norte-americano, Donald Trump, está a analisar "outras opções" que tem disponíveis

"Não é a única opção, existem outras opções sobre a mesa", assegurou a porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, durante uma conferência de imprensa.

Na segunda-feira, Trump afirmou que levaria entre 24 e 48 horas para decidir sobre uma possível resposta militar à Síria devido ao ataque químico que alegadamente as forças próximas do governo perpetraram sobre a população de Douma, onde morreram pelo menos 43 pessoas.

Apesar deste prazo já ter terminado, Sanders assegurou que o Presidente não estabeleceu uma "janela de tempo" concreta e sublinhou que durante a manhã Trump reuniu-se com os seus conselheiros de Segurança para estudar todas as "possibilidades".

Estas declarações foram feitas depois de o próprio Trump ter ameaçado através da sua conta pessoal do Twitter, tanto a Síria como a Rússia, com um ataque de mísseis "suaves e novos e 'inteligentes'".

Sanders insistiu em apontar a Rússia como responsável pelo ataque em Douma, por não ter conseguido evitar que o regime sírio executasse este "atroz" ataque, tal como foi qualificado pelo Presidente norte-americano.

"Certamente cremos que [a Rússia] demonstrou ser um mau ator", apontou Sanders, que subscreveu as palavras de Donald Trump ao considerar que a relação entre Washington e Moscovo está no nível mínimo.

Questionada sobre se a Casa Branca considera que o Kremlin se converteu num inimigo dos Estados Unidos, Sanders limitou-se a afirmar: "Isso é algo onde a Rússia tem um papel a desempenhar".

com Lusa