Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Médicos canadianos em protesto... porque não querem ser aumentados

Mundo

Centenas de médicos e estudantes de medicina da província canadiana do Quebec têm estado a assinar uma petição online, contra o previsto aumento dos salários. E a razão é nobre

Sara Sá

Sara Sá

Jornalista

É caso para dizer: "só no Canadá!" Desde o dia 25 de fevereiro que uma petição online contra o aumento dos ordenados dos médicos tem vindo a recolher centenas de assinaturas, dos próprios médicos.

“Nós, os médicos do Quebec, que acreditamos num sistema público forte, opomo-nos aos recentes aumentos de salários negociados pelas nossas federações de médicos,” lê-se na petição. O grupo de médicos que encabeça o protesto defende que em boa consciência não podem aceitar o aumento, quando outros companheiros de trabalho, como os enfermeiros e os administrativos não vêem as suas condições melhoradas. Também alertam para a degradação dos serviços prestados aos doentes, em virtude dos cortes orçamentais que têm acontecido nos últimos anos.

Enquanto os enfermeiros se têm deparado com uma crescente sobrecarga de trabalho - com aumento do número de doentes por profissionais, a classe médica tem visto os seus salários aumentar - no mês passado os sindicatos conseguiram um aumento de 1,4% -, sendo mesmo mais elevado na província do Quebec do que na vizinha Ontário.

"A única coisa que parece estar imune ao cortes no sistema de saúde são os nossos salários", acrescenta a petição. "Ao contrário do que alega o Primeiro Ministro, acreditamos que há uma forma de redistribuir os recursos do sistema de saúde do Quebes, de forma a promover a saúde da população e ir ao encontro das necessidades dos pacientes, sem levar os trabalhadores ao limite."

O caso está a ser analisado pelo Ministro da Saúde.