Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Colegas do autor do tiroteio em escola na Florida "previram" o ataque EUA

Mundo

Getty Images

Os colegas de Nikolas Cruz, o alegado atirador de 19 anos do tiroteio de quarta-feira numa escola da Florida, descreveram o comportamento do colega como "estranho" e dizem que "toda a gente previu" o ataque

"Surpreende-me estar a acontecer hoje, mas não me surpreende saber que foi ele". Estas foram as palavras ditas por um ex-colega de Cruz, de 17 anos, aluno da escola secundária Marjory StonemanDouglas, em entrevista ao canal WSVN.

Nikolas Cruz, de 19 anos, tinha sido expulso da escola de Parkland, na Florida, por "razões disciplinares", de acordo com Scott Israel, xerife do condado de Broward.

Na quarta-feira, regressou à antiga escola alegadamente armado com uma carabina AR-15 e "inúmeros carregadores", com o intuito de levar a cabo um massacre. Acabou por matar 17 pessoas, entre alunos e funcionários da escola.

"Era um miúdo problemático e sempre teve problemas. Disparava armas porque sentia que isso lhe dava, penso eu, uma sensação estimulante", relata o aluno. "Eu ficava longe dele a maior parte do tempo, não queria estar com ele", acrescenta.

Tal como o ex-colega de 17 anos que quis ficar no anonimato, muitos outros colegas e amigos não mostraram indícios de ter ficado surpreendidos pelo seu comportamento.

"Toda a gente na escola que o conhecia especulava acerca dele", excplica Dakota Mutchler, uma estudante de 17 anos, que deixou de ser amiga de Cruz por o seu comportamento "se tornar progressivamente mais esquisito", como conta ao The Guardian.

Mutchler diz que Cruz publicava conteúdos relacionados com armas, tiro ao alvo e matanças de animais nas redes sociais.

Tal como ela, também Victoria Olvera, uma outra colega de 17 anos, conta que "ao início, ele era muito simpático", mas depois "simplesmente mudou. Tanto quanto sabia, ele era como um futuro atirador deescolas".

Alex Azar, que se lembra de Cruz antes de ele ter sido expulso, contou à CNN que "ele sempre pareceu ser instável, o tipo de pessoa que faria uma coisa destas".

Um outro estudante, Eddie Bonilla, acrescenta que "muitos miúdos atiravam piadas dessas para o ar, diziam que ia ser ele a fazer um tiroteio na escola. Parece que toda a gente o previu. É uma loucura".

Nikolas e o seu irmão Zachary foram adotados por Lynda Cruz e pelo seu marido, que morreu de ataque cardíaco há alguns anos, relata o Sun Sentinel. No ano passado, Lynda faleceu de pneumonia e os irmãos ficaram a cargo de Barbara Kumbatovich, amiga de Lynda, que os acolheu.

Nikolas mudou-se na última Páscoa para a casa de um amigo, que vive com a família. O advogado da família, Jim Lewis, afirma que todos sabiam que Cruz tinha uma AR-15, mas que o obrigavam a mantê-la trancada num armário - do qual ele tinha a chave.

Lewis diz que a família se encontra devastada e que, ao contrário de todos os colegas de Cruz, não conseguiu prever o incidente.