Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Tudo o que se sabe sobre o caso dos irmãos Turpin

Mundo

Após uma semana e meia de notícias e investigações, o que se sabe sobre o caso dos 13 irmãos, com idades entre os 2 e os 29 anos, mantidos em cativeiro pelos próprios pais numa pequena localidade do sul da Califórnia

Segundo as autoridades, os 13 irmãos "aparentavam estar desnutridos e muito sujos" quando foram encontrados, alguns acorrentados a camas, na "escura e malcheirosa" residência em Perris. Dada a condição física das vítimas, a polícia pensou ter encontrado 13 crianças. Na realidade, sete dos irmãos tinham entre 18 e 29 anos de idade.

Os pais, David e Louise Turpin, que não prestaram qualquer esclarecimento da situação às autoridades, foram detidos e interrogados.

E após uma semana e meia de investigações, o que se sabe sobre a "casa dos horrores"?

Uma escola privada

A residência dos Turpin, em Perris, aparece registada no Departamento de Educação da Califórnia (CDE) como uma escola privada, sob o nome de Sandcastle Day School. Para tal, David Turpin apenas teve que preencher uma declaração em como os seus filhos – e únicos alunos – estariam a ter aulas a tempo inteiro naquela morada, com os anos de escolaridade respetivos.

O porta-voz do CDE, Scott Roark, disse numa declaração à imprensa que o órgão não possui autoridade para monitorizar ou inspecionar escolas privadas, pelo que se torna difícil a deteção de casos semelhantes.

Familiares mantidos à distância

Elizabeth Flores, tia dos 13 irmãos, afirmou que a irmã Louise não a deixava ver e interagir com os sobrinhos há mais de 20 anos.

O mesmo aconteceu a vários membros da família. Uma vez, o pai de Louise quis visitá-la de surpresa, comprou bilhetes de avião e a filha obrigou-o a não ir.

As declarações foram feitas durante o programa televisivo Good Morning America, da ABC, em que Flores descreveu a sua relação com o casal Turpin.

Na mesma entrevista, Flores alegou nunca ter assistido a nenhum tipo de abuso do casal Turpin aos seus filhos, mesmo quando partilhou casa com estes nos tempos de faculdade, no Texas.

No entanto, e segundo relata Flores, David costumava fazer uma coisa peculiar. "Se eu fosse tomar banho, ele [David] entrava enquanto eu lá estava e ficava a ver-me. Era como uma piada", conta. Contudo, Flores diz que David nunca lhe tocou de forma sexual.

Uma outra tia, Teresa Robinette, que mantinha um contacto mais regular com Louise e os seus filhos, afirmou estar preocupada com o peso das crianças.

"Sempre fiz comentários à Louise quando falava com ela sobre 'Bolas, eles estão tão magros'. E ela não dava importância: 'Bem, o David é tão alto e esguio. Eles vão ser como ele'", afirmou Robinette no programa Today da NBC.

Uma refeição por dia e um banho por ano

O promotor público do distrtito de Riverside, Mike Hestrin, alegou que os 13 irmãos estavam presos e acorrentados em casa como forma de castigo - castigos estes que podiam durar dias, semanas ou meses, relata o Independent.

É também conhecido que as crianças eram vitimas de agressões regulares, comiam uma refeição por dia e eram autorizadas a tomar banho apenas uma vez por ano. Não era prestado qualquer cuidado de saúde aos 13 irmãos há mais de quatro anos.

Reality show na calha

No último sábado, um outro irmão de Louise fez declarações à imprensa sobre o casal.

Billy Lambert, afirmou que, numa conversa com a irmã passada em dezembro, Louise lhe disse que ela e David planeavam ter mais um filho. Porquê? Para fazerem um realityshow.

"Ainda no mês passado a Louise disse-me que ela e o David planeavam ter mais um filho", relata ao Mirror. "Perguntei-lhe porque raio queriam mais filhos e ela falou-me sobre querer um reality-show televisivo". "É essa a razão de se terem mudado para a Califórnia, para estarem mais perto de Hollywood", conta Lambert.

E o futuro?

O irmão de Louise afirmou ainda estar disposto a adotar pelo menos três dos irmãos, e espera que outros membros da família façam o mesmo.

Os 13 irmãos continuam entregues aos serviços de saúde californianos, que confirmaram que todos apresentavam sinais de deficiência cognitiva.

Embora tenham pedido para permanecer juntos, a CBS relata que os irmãos menores serão divididos por dois orfanatos até serem eventualmente adotados, enquanto que os maiores de idade irão para uma residência para adultos, onde terão assistência profissional.

O casal, acusado de um total de 75 acusações de abuso infantil, sequestro, tortura e negligência aos seus 13 filhos, foi presente a tribunal na ultima sexta-feira. Declararam-se inocentes de todas as acusações.

Caso os pais sejam dados como culpados, podem receber uma sentença superior a 94 anos de cadeia.As suas fianças estão afixadas em 12 milhões de dólares, cerca de 10 milhões de euros, para cada um.