Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Ataques terroristas recebem cinco vezes mais cobertura quando são perpetrados por muçulmanos

Mundo

Darren McCollester / GettyImages

Os ataques terroristas têm feito capas na imprensa internacional. Mas nem todos recebem a mesma cobertura mediática. Tudo depende de quem são os autores, segundo um estudo da Universidade de Geórgia, nos EUA

Um estudo da Universidade da Geórgia, revelou que, nos Estados Unidos, os ataques terroristas levados a cabo por muçulmanos receberam mais cobertura mediática do que os restantes.

O estudo analisou a cobertura de notícia da Academia LexisNexis e da CNN.com entre 2011 e 2015 e concluiu que os ataques terroristas perpetrados por muçulmanos receberam mais 449% de cobertura mediática do que os restantes. Segundo a pesquisa, a cobertura mediática desproporcional dada a estes ataques terroristas em comparação com outros em que o agressor não é muçulmano, aumenta o medo da população relativamente ao terrorista muçulmano.

Foi analisada a cobertura mediática dada a outros casos que mostra que, quando os ataques terroristas ocorrem em território americano, e não são encabeçados por muçulmanos, não recebem tanta atenção. Cientistas descobriram que o atentado que ocorreu na maratona de Boston em 2013, liderado por dois muçulmanos e que provocou a morte de três pessoas, recebeu quase 20% da cobertura relacionada com ataques terroristas dos EUA num período de cinco anos. Ao contrário do que aconteceu em 2012 num massacre no templo Sikh em Wisconsin. Morreram seis pessoas mas o massacre foi da autoria de Wade Michael Page, um homem branco. O massacre teve apenas 3,8% da cobertura.

Estes dados vêm contrariar as afirmações, feitas em fevereiro, por Donald Trump, quando disse que os ataques perpetrados por muçulmanos recebiam menos cobertura mediática. Os dados atuais mostram que os muçulmanos perpetraram 12,4% dos ataques e receberam 41,4% de cobertura mediática.