Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Pelo menos 12 mortos e 78 feridos em incêndio de prédio em Londres

Mundo

Toby Melville

O fogo destruiu uma torre de habitação social, durante a madrugada desta quarta-feira. O balanço do número de mortos e feridos continua a ser provisório, anunciou a polícia londrina

Lusa

Pelo menos 12 pessoas morreram e 78 ficaram feridas no incêndio que destruiu durante a madrugada desta quarta-feira uma torre de habitação social em Londres. Um balanço provisório que poderá ainda agravar-se, anunciou a polícia londrina

Das 78 pessoas hospitalizadas, 18 estão em estado crítico, desconhecendo-se também ainda o paradeiro de muitos residentes da Grenfell Tower, em North Kensington, no oeste de Londres, o que leva a crer que o balanço do número de vítimas poderá ser bastante mais elevado.

"Está agora em curso uma complexa operação de busca que se estenderá por vários dias", declarou no local o comandante da polícia metropolitana, Stuart Cundy, acrescentando que não espera encontrar mais sobreviventes.

O incêndio, que deflagrou pouco depois da 1h00 local e cujas chamas atingiram uma intensidade sem precedentes, segundo a polícia, consumindo o edifício de apartamentos de 24 andares em poucas horas, levou a que, em desespero, para os salvar, residentes atirassem um bebé e outras crianças pequenas de janelas dos pisos mais altos para pessoas que se encontravam no passeio e as apanharam, relataram testemunhas.

Mais de 200 bombeiros combateram as chamas que iluminavam o céu noturno da capital britânica, enquanto o fumo negro que saia pelas janelas se tornou visível num raio de quilómetros quando a manhã chegou, revelando a estrutura calcinada do prédio, ainda a arder mais de 12 horas depois.

Um sobrevivente disse que o alarme de incêndio não disparou, sustentando os argumentos de um grupo da comunidade que há alguns meses apenas tinham alertado para a eventualidade de uma catástrofe no bloco de habitação subsidiada.

"As chamas, nunca vi nada como aquilo, só me fez lembrar o 11 de Setembro. O fogo começou nos andares de cima e alastrou tão depressa... Ao fim de meia hora já todo o prédio ardia", disse Muna Ali, de 45 anos.

"Este é um incidente sem precedentes: nos meus 29 anos enquanto bombeira, nunca, nunca vi nada desta dimensão", disse a comissária dos bombeiros, Dany Cotton, à imprensa, acrescentando recear que sejam encontradas mais vítimas ainda dentro da torre, onde cerca de 600 pessoas residiam em 120 apartamentos, mas afastando a hipótese de um desabamento do edifício.

Às 17h00 locais (mesma hora em Lisboa), não era ainda claro quantas pessoas conseguiram escapar ao incêndio e quantas estão desaparecidas. Os bombeiros têm efetuado buscas sistemáticas por entre os escombros e as autoridades estão a instar os residentes no edifício a telefonarem para uma linha especial para ajudar a precisar o número de desaparecidos.

Desconhece-se, por enquanto, a causa do incêndio, mas residentes indignados indicaram ter alertado as autoridades locais para problemas que poderiam causar incêndios na Grenfell Tower.

O edifício de habitação social, construído em 1974, foi submetido a obras orçadas em 8,6 milhões de libras (9,7 milhões de euros) e concluídas em maio do ano passado, de acordo com o Royal Borough of Kensington and Chelsea.