Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Perguntaram aos americanos qual a primeira palavra que lhes vinha à cabeça quando pensavam em Trump. E o resultado não é bonito

Mundo

© Carlos Barria / Reuters

Uma sondagem levada a cabo pela Universidade de Quinnipiac mostrou resultados pouco simpáticos para o presidente dos Estados Unidos

Francisco Perez

Donald Trump não é um nome consensual para os norte-americanos. Muitos olham com crescente desconfiança para as ações do presidente norte-americano, cujos índices de popularidade caíram para números quase históricos entre os eleitores sem educação superior, caucasianos e eleitores independentes. Ainda esta semana, Trump demitiu o diretor do FBI, uma decisão que causou polémica em Washington.

Uma sondagem revelada esta quarta-feira pela Universidade de Quinnipiac, no Connecticut, concluiu que o chefe de Estado tem uma aprovação de 36% contra os 58% que não estão satisfeitos com o seu trabalho. Trump ficou a um ponto do valor mais baixo da sua aprovação desde que foi eleito.

A instituição de ensino superior quis ir mais longe e questionou os participantes sobre “qual a primeira palavra que vem à cabeça quando pensam em Donald Trump?”. E os resultados não são muito positivos para o presidente.

“Idiota” foi a palavra mais utilizada, tendo sido referida 39 vezes. Seguem-se “incompetente” (31) e “mentiroso” (30), antes do primeiro adjetivo simpático para com o chefe de Estado: “líder”, referido por 25 dos inquiridos. “Inqualificável” fecha o top-5, também com 25 menções.

As dez palavras mais utilizadas foram:

  1. “Idiota” - 39
  2. “Incompetente” - 31
  3. “Mentiroso” - 30
  4. “Líder” - 25
  5. “Inqualificável” - 25
  6. “Presidente” - 22
  7. “Forte” - 21
  8. “Empresário” - 18
  9. “Ignorante” - 16
  10. “Egoísta” - 15

A sondagem teve uma amostra de 1078 participantes espalhados pelo país entre 4 e 9 de maio.

“O declínio da popularidade entre homens caucasianos, eleitores caucasianos sem cursos superiores e eleitores independentes, as afirmações do eleitorado que considera que os primeiros 100 dias do presidente Donald Trump foram um falhanço, e as preocupações sobre a sua honestidade, inteligência e nível são alertas vermelhos a que a administração não pode fugir”, referiu Tim Malloy, diretor assistente questionário.

Já em agosto de 2015, um estudo idêntico da universidade tinha colocado a mesma questão a dois dos três então possíveis candidatos às presidenciais: Hillary Clinton e Donald Trump.

Dentro de um universo de 1500 pessoas, 178 acusaram a representante do Partido Democrata de ser “mentirosa”. A primeira resposta positiva surgiu apenas em quarto lugar: “experiente”.

O inquérito apurou ainda que 58 pessoas acusavam o atual presidente de ser “arrogante”. Depois de “empresário” (34), apenas 30 inquiridos o consideraram “honesto”.