Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Imagem de repórter devastado torna-se símbolo do drama em Alepo

Mundo

  • 333

As imagens que estão a dar a volta ao mundo, via Twitter, traduzem (mais uma) tragédia que se viveu em Alepo, com o ataque suicida a um caravana de autocarros que fugia da guerra: um repórter fotográfico sírio a correr com um menino nos braços e, pouco depois, ajoelhado e visivelmente transtornado, junto ao cadáver de outro

"Não há palavras para descrever o que se passou", afirmou Abd Alkader Habak, o protagonista das imagens, à cadeia britânica Channel 4. Talvez por isso, as fotografias no rescaldo do atentado do último sábado tenham ganho tanta força.

Pelo menos 126 pessoas, entre as quais 68 crianças, morreram quando um bombista suicida fez explodir uma camioneta armadilhada junto de 75 autocarros estacionados num subúrbio de Alepo para transportar cerca de 5 mil pessoas retiradas na sexta-feira de Foua e Kafraya.

Numa das imagens, vê-se o repórter fotográfico a carregar nos braços um menino ferido.

Outra, captada pouco depois, mostra Abd Alkader Habak a chorar, ajoelhado no chão, junto ao cadáver de outra criança.

Ao Channel 4, Abd Alkader Habak explicou que estava no local a distribuir alimentos quando se deu a explosão. Mas se se apressou a pegar na câmara para registar o acontecimento, logo a largou para ajudar um menino que precisava de ajuda. "Percebi que o menino respirava, agarrei-o e corri até uma ambulância", recorda. Da criança, sabe apenas que foi transportada para um hospital situado "na zona rebelde".