Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Lembra-se da bebé que nasceu em cima de uma árvore em Moçambique? Aqui está ela, com 17 anos

Mundo

O nome Rosita Mabuiango, provavelmente, não lhe diz nada. Mas é bem possível que se lembre do caso da bebé-milagre, nascida em cima de uma árvore, durante as piores cheias da história recente de Moçambique

Reuters

As imagens de Rosita, recém-nascida, captadas pouco depois de ter sido resgatada, juntamente com a mãe, de helicóptero, correram mundo em 2000 e ajudaram a angariar fundos para as dezenas de milhares de vítimas das enormes cheias que atingiam então Moçambique.

A agência France Press foi encontrá-la agora, 17 anos depois, em Maputo, na casa da madrinha, Ruth Valera, onde vive durante o ano escolar. Mas a adolescente, de sorriso no rosto, começa por adiantar que não se sente especial: "Sou normal. Foi só uma maneira diferente de nascer."

JOHN WESSELS/ AFP/ Getty Images

Rosita nasceu a 1 de março do ano 2000, quatro dias depois de a mãe, Carolina Chirindza, ter visto na subida a uma árvore a única forma de sair com vida do avanço mortífero das águas no sul de Moçambique. Sem água, nem comida, usando toda a sua força para se segurar aos ramos, Carolina Chirindza entrou em trabalho de parto.

A intervenção da sogra, Rosita, com uma capulana, o pano tradicionalmente usado pelas mulheres moçambicanas, permitiu que a bebé não caísse à agua enlameada e também infestada de crocodilos. E a recém-nascida ficou Rosita também.

Agora, quer estudar engenharia petroquímica. A escolha não é por acaso, dada a recente descoberta de reservas de gás ao largo da costa de Moçambique. Quando não está a estudar, joga futebol, uma paixão que lhe "pegou" o seu irmão Benedito, quatro anos mais velho.

Com 39 anos, Chirindza também falou à AFP, na sua casa, a cerca de 280 quilómetros da capital: "um milagre", diz, sobre a sobrevivência de ambas.