Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Cristiano Ronaldo já fez 200 jogos pelo Real Madrid

Futebol

  • 333

O internacional português Cristiano Ronaldo cumpriu domingo o seu 200.º jogo oficial pelo Real Madrid, numa relação marcada por golos, muitos golos, à média de mais do que um por encontro

Pelos "merengues", que no domingo bateram em casa o Bétis por 2-1, CR7, hoje em "branco", ainda não conseguiu repetir a "Bola de Ouro" e a Liga dos Campeões arrebatadas ao serviço do Manchester United, em 2008, mas isso não aconteceu por falta de pontaria.

A dar os primeiros passos na sua quinta época ao serviço do melhor clube do século passado, o "7" dos madrilenos apresenta o registo estratosférico de 201 golos em 200 jogos e é hoje, inquestionavelmente, o líder da equipa.

Depois de uma primeira época "calma", com 33 golos em 35 jogos, Cristiano Ronaldo marcou sempre mais do que meia centena nas três seguintes: 53 em 2010/2011 (54 jogos), 60 em 2011/2012 (55) e 55 em 2012/2013 (55).

A marcar à média de mais de um golo por jogo, o internacional luso já é um dos melhores marcadores da história do Real Madrid, estando a míseros sete tentos do sexto da lista, o mexicano Hugo Sanchez, autor de 208.

O jogador madeirense estreou-se pelo clube de Madrid a 29 de agosto de 2009 e mostrou logo ao que vinha, ao marcar um dos três golos da vitória caseira face ao Deportivo (3-2), em encontro da primeira jornada da Liga espanhola.

Cristiano Ronaldo marcou no primeiro jogo oficial e nos quatro seguintes, incluído dois "bis", na estreia pelo clube na "Champions" (5-2 no reduto dos suíços do Zurique) e na terceira ronda da Liga espanhola (5-0 ao Xerez).

Devido a lesão, acabou por alinhar apenas em 35 encontros em 2009/2010, mas, nas temporadas seguintes, esteve quase sempre ao dispor do treinador português José Mourinho, com o qual está agora incompatibilizado.

Em 2010/2011, disputou 54 jogos, entre os quais 34 da Liga espanhola, prova que acabou como o melhor, então com recorde de 40 golos, que lhe valeram a segunda "Bota de Ouro", depois de uma primeira ao serviço do United.

Na Taça do Rei, apontou apenas sete, mas o último foi muito valioso, já que proporcionou aos "merengues" a vitória na final, face ao FC Barcelona: um cabeceamento imparável, já no prolongamento, em Valência (1-0).

Na época seguinte, disputou mais um jogo (55) e chegou aos 60 tentos, incluindo 46 no campeonato de Espanha, um melhor registo pessoal que não valeu o "Pichichi" ou a "Bota de Ouro" porque o "extraterrestre" Lionel Messi, jogador do FC Barcelona, chegou aos 50.

Ainda assim, sagrou-se pela primeira vez campeão de Espanha, tendo sido seu o tento que permitiu aos "merengues" vencer por 2-1 em Nou Camp, frente ao "Barça", e selar praticamente o ceptro, a quatro rondas do fim.

Na época transacta, começou muito bem, com golos nas duas mãos da Supertaça, ganha ao FC Barcelona, e acabou-a com 55 golos em 55 embates, mas faltaram os títulos.

O Real Madrid ficou em segundo no campeonato, muito longe de um "Barça" que garantiu o título bem cedo, perdeu em casa a final da Taça do Rei, face ao Atlético, e voltou a cair nas "meias" da Liga dos Campeões, desta vez frente ao Borussia de Dortmund.

Para a nova temporada, Cristiano Ronaldo, com ou sem a companhia de Gareth Bale, continuará a ser a grande referência dos "merengues": já lá vão 200 jogos e a lenda do português continua a crescer no Bernabéu.