Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Está instalada a guerra diretiva no Sporting

Futebol

Bruno de Carvalho, no domingo, após a vitória do Sporting por 2-0 frente ao Paços de Ferreira. Enquanto jogadores e treinadores eram aplaudidos no centro do relvado, o presidente era assobiado e teve de ser apoiado ao sair do banco, com queixas de fortes dores nas costas

NurPhoto

O presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting, Jaime Marta Soares, considera esgotadas as hipóteses de Bruno de Carvalho no Sporting. Este, por seu lado, diz que Marta Soares é "foco de problemas". Ambos garantem que vão pedir uma nova Assembleia Geral do clube. A crise segue dentro de momentos, já com Bruno de Carvalho fora... do Facebook

O presidente da Mesa da Assembleia Geral (MAG) do Sporting, Jaime Marta Soares, considerou hoje "esgotadas as hipóteses de manutenção" de Bruno de Carvalho na presidência do Sporting, em declarações à rádio TSF.

"Os sócios deram um sinal, disseram aquilo que querem, por isso, ou o próprio Bruno de Carvalho toma a melhor atitude para respeito do que os sócios querem ou nós utilizaremos toda a nossa competência estatutária para fazer regressar a paz ao Sporting", afirmou Jaime Marta Soares.

No domingo, após a vitória da equipa de futebol do Sporting frente ao Paços de Ferreira, por 2-0, num jogo em que os jogadores 'leoninos' foram aplaudidos e o presidente assobiado, Bruno de Carvalho acusou os adeptos 'verde e brancos' de serem "ingratos e de memória curta", remetendo os pedidos de demissão para as reuniões magna do clube.

"Os clubes ficam e as pessoas passam e o que têm a fazer é deixar história do seu passado -- e Bruno de Carvalho deixa --, mas isso não lhes dá o direito de pensarem que o clube é propriedade de alguém a não ser dos sócios. Ninguém pode pensar de outra forma, a partir do momento que se tem outra interpretação, não se está a respeitar o que é o desejo de todos. Por isso, na minha opinião, estão esgotadas as hipóteses de manutenção da atual presidência, para o Sporting retomar a paz que se impõe e se deseja. O tempo urge, não há tempo a esperar, e eu espero que ele [Bruno de Carvalho] tenha consciência disso", frisou Jaime Marta Soares.

Questionado sobre se Bruno de Carvalho teria condições para continuar na liderança do clube, o líder da Mesa da Assembleia Geral do clube foi perentório: "Pelo que se viu ontem [no domingo] no estádio, não".

Em resposta, o presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, assegurou que a direção também vai pedir a marcação de uma Assembleia Geral (AG), acrescentando que o líder deste órgão social do clube é um "foco de problemas".

Numa edição a um 'post' no seu Facebook, Bruno de Carvalho refere que Jaime Marta Soares "criou a maior confusão vista na história do Sporting ao conduzir de forma infantil e incompetente uma AG", levando-o a "defender um homem que não tem defesa possível".

"Este foco de problemas vem agora ameaçar-me. Eu tinha-o avisado que mais uma dele e quem pediria a sua saída seria eu e não só os sócios como o fizeram de forma esmagadora só o mantendo porque eu o pedi. Escusa de reunir a MAG -- que se diga nunca se reviu nele nem esteve a seu lado --, pois serei eu a pedir novamente à direção para se fazer uma AG, para os sócios se voltarem a pronunciar sobre nós e, neste momento, separadamente, sobre os presidentes da MAG e do CFD [Conselho Fiscal e Disciplinar]. Se os sócios não tiverem a memória curta sairá pela porta pequena como em Poiares [onde Marta Soares foi presidente da Câmara Municipal]", lê-se no referido 'post'.

Bruno de Carvalho abandona (outra vez) o Facebook

O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, anunciou, mais tarde, o seu afastamento da rede social Facebook, seguindo a vontade "erradíssima" da maioria, numa publicação em que assinala a traição do presidente da Mesa da Assembleia Geral (AG).

"A vida tem coisas engraçadas! Ontem [no domingo], o Jaime Soares dava-me palmadinhas nas costas, e desejava-me as melhoras e que hoje fosse um dia muito bom para mim e para a 'Joaninha'. De repente, o poder caiu na rua e já veio atraiçoar quem sempre o defendeu. E colocou em perigo coisas importantíssimas da SAD. Os males do mundo, para os sportinguistas, são os meus facebooks...", lê-se na mensagem de Bruno de Carvalho.

Nesta comunicação, o presidente 'leonino' dá conta da sua atuação na rede social, nomeadamente "situações gravíssimas que se vivem dentro e fora do clube".

"Não cedo um milímetro no meu amor a este clube, à sua defesa, mas para mim terminou de vez esta guerra surda de vos querer manter informados pelo meu único canal de informação próprio, o meu Facebook. E estou ansioso por ver esse exército pronto para a luta, essa militância inquestionável, onde desde rivais, políticos, comunicação social, Ministério Público, Clubes, Liga, Federação, entre tantos, vão estar-se nas tintas, como sempre estiveram, até chegar esta direção", escreveu Bruno de Carvalho.

O presidente do Sporting diz esperar que o seu afastamento da rede social satisfaça os adeptos, ironizando: "E eu que sempre julguei que seria o sermos campeões em tudo. Ingénuo! Quinta-Feira lá nos veremos, com assobios mas sem insultos. Eu quero é que o Sporting ganhe o resto... O resto é isso mesmo, efémero...".

"Eu não quero mais enxovalhos em prol de quem não merece. Querem viver na ignorância e sem defesa à altura das necessidades do nosso clube? Se o Sporting fica mais forte desta forma, seja feita a vontade da maioria. Para mim ficará a missão de gerir o clube da forma que acham melhor. Erradíssima, mas o clube é vosso", prosseguiu.

Quatro dias que abalaram o leão

No domingo, após a vitória da equipa de futebol do Sporting frente ao Paços de Ferreira, por 2-0, num jogo em que os jogadores 'leoninos' foram aplaudidos e o presidente assobiado, Bruno de Carvalho acusou os adeptos 'verde e brancos' de serem "ingratos e de memória curta", remetendo os pedidos de demissão para as reuniões magna do clube.

Bruno de Carvalho criticou na quinta-feira as exibições de alguns jogadores do Sporting, a seguir à derrota em casa do Atlético de Madrid (2-0), na Liga Europa.

Na sexta-feira, 19 jogadores do plantel, entre os quais Rui Patrício, William Carvalho, Fábio Coentrão, Coates, Gelson Martins e Bruno Fernandes, divulgaram um comunicado em que manifestaram "desagrado" com as críticas do presidente do clube.

Em resposta, Bruno de Carvalho partilhou um texto no Facebook, visível para os seus amigos na rede social, em suspendia os jogadores que subscreveram um comunicado e fazia saber que teriam de enfrentar a disciplina do clube.

No sábado, o treinador da equipa, Jorge Jesus, afirmou que os futebolistas não receberam qualquer nota de suspensão por parte do clube e garantiu que Bruno de Carvalho lhe deu "liberdade para convocar os jogadores" que entendesse para o jogo de domingo com o Paços de Ferreira, da 29.ª jornada da I Liga de futebol, o que aconteceu, com os 'leões' a vencerem por 2-0.

Antes do encontro, Bruno de Carvalho voltou a colocar um 'post' no Facebook a criticar os futebolistas, afirmando que "serão mantidos os processos disciplinares" aos jogadores, que mancharam "o bom nome do presidente e do clube".

Lusa