Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Troika vai supervisionar ajuda a Espanha

Economia

  • 333

Mariano Rajoy, primeiro-ministro de Espanha

AP

Apoio à banca espanhola terá condições para o estado espanhol e será supervisionado pela "troika". O anúncio do resgate a Espnha está a fazer subir as bolsas e o valor do Euro

O vice-presidente da Comissão Europeia, Joaquín Almunia, disse hoje que o empréstimo para o setor bancário espanhol terá "obrigações e compromissos" e será supervisionado pela "troika" formada por Banco Central Europeu, Fundo Monetário Internacional e Comissão Europeia.

"E não falo só da obrigação de devolver esse empréstimo, mas também de outro tipo de condições", disse Almunia em entrevista à Cadena SER, sublinhando: "Haverá que ver quais são essas condições e ver que tipo de políticas, decisões e compromissos cobre".

Almunia confirmou ainda que o empréstimo a Espanha será supervisionado pela "troika" e considerou "pouco acertada" a expressão "homens de negro" utilizada pelo ministro da Fazenda, Cristóbal Montoro.

O ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schauble, também anunciou que a 'troika' vai monitorizar a reestruturação da banca espanhola.

"Haverá uma 'troika'. Será responsável por controlar com precisão o cumprimento do programa", afirmou Schauble em declarações à rádio pública Deutschlandfunk, dois dias depois de ter sido aprovada uma ajuda de até 100 mil milhões de euros para o resgate da banca espanhola.

Ao salientar que essa monitorização limitar-se-á exclusivamente à reestruturação da banca espanhola, o ministro alemão observou que o setor financeiro de Espanha está a ser afetado por problemas decorridos da bolha imobiliária e que as medidas adotadas no sábado pelos ministros da Economia e Finanças da zona euro têm por base a experiência adquirida depois da crise imobiliária nos EUA.

O programa europeu de auxílio à banca espanhola, aprovado no sábado, ajuda a fortalecer a solvência da dívida pública de Espanha, contribuindo para reduzir os passivos do Estado, refere em comunicado o Ministério da Economia espanhol.

A nota divulgada hoje pelo Tesouro Público considera que a ajuda "não só não enfraquece as condições atuais da dívida pública, como reforça a sua solvência".

Segundo o comunicado, um sistema bancário sólido e devidamente capitalizado reduz os passivos contingentes do Estado e contribui para reforçar a sustentabilidade da dívida espanhola.

Bolsa espanhola a subir...

O principal indicador da bolsa espanhola, o Ibex35, subiu hoje 5,61 por cento na abertura da sessão, a primeira desde o anúncio do programa de assistência europeia à banca de Espanha.

O otimismo dos mercados alarga-se também ao risco da dívida - medido pelo diferencial entre os títulos espanhóis e alemães a 10 anos -, que baixou cerca de 20 pontos na abertura, para 470 pontos base.

No início da jornada, os títulos espanhóis a 10 anos estavam a negociar a 6,07 por cento.

...e Euro também

A cotação do euro subiu hoje no mercado asiático, no primeiro dia de negociação depois da zona euro ter concordado em atribuir à banca espanhola um resgate que pode atingir 100 mil milhões de euros.

No mercado asiático, a moeda única europeia arrancou hoje a valer 1,2647 dólares e 100,73 ienes, contra os 1,2514 dólares e 99,49 ienes a que fechou a negociação, na sexta-feira, em Nova Iorque.

No sábado, o governo espanhol anunciou um pedido formal de ajuda financeira externa para salvar o sistema bancário do país, que poderá ir até aos 100 mil milhões de euros, juntando-se assim Espanha à Irlanda, a Portugal e à Grécia no pedido de auxílio internacional.