Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Situações de Portugal, Irlanda e Grécia são "muito diferentes"

Economia

  • 333

A Comissão Europeia veio explicar, por um porta-voz, não há razões para que estes três países queiram renegociar as condições dos seus empréstimos

As situações que levaram aos resgates da Grécia, Irlanda e Portugal são "muito diferentes" das que se registam em Espanha, o que levou a que a assistência ao setor bancário espanhol seja diferente, afirmou o porta-voz dos Assuntos Económicos da Comissão Europeia.

Questionado na RTVE sobre a possibilidade de os três países resgatados poderem querer renegociar as suas condições, na sequência da assistência acordada aos bancos espanhóis, Amadeu Altafaj recordou as diferenças: "Na Irlanda o setor financeiro foi nacionalizado e essa nacionalização chegou a exacerbar o défice até aos 32 por cento", disse, explicando que, "no caso de Grécia e Portugal, os casos eram mais graves, especialmente no âmbito macroeconómico"

O porta-voz destacou o comportamento "exemplar" da sociedade espanhola e os esforços do Governo para controlar o défice.