Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Portugal Telecom e Oi assinam acordo de fusão

Economia

  • 333

As operadoras de telecomunicações Portugal Telecom e Oi (Brasil) assinaram um acordo de intenções para a fusão das duas empresas, constituíndo uma entidade única liderada por Zeinal Bava

As operadoras de telecomunicações Portugal Telecom e Oi (Brasil) assinaram hoje um acordo de intenções para a fusão das duas empresas, e das holdings da operadora brasileira, constituíndo uma entidade única liderada por Zeinal Bava.

"A PT, a Oi, a AG Telecom Participações , a LF Tel e respetivas holdings assinaram a esta data um acordo de intenções o qual define os princípios essenciais para uma proposta de fusão", refere um comunicado hoje divulgado na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A nova empresa, CorpCo, só avançará depois de a fusão ser aprovada por todos os acionistas das operadoras portuguesa e brasileiras, além de um aumento de capital na ordem dos 2,3 a 2,7 mil milhões de euros e à aprovação das entidades de regulação. A transação, refere o documento, está prevista para o primeiro semestre do próximo ano.

As empresas explicam que a fusão surge na sequência da aliança estabelecida em 2010, ano em que a PT entrou na Oi, após a venda da participação que o grupo português detinha na brasileira Vivo à operadora espanhola Telefónica, por 7,5 mil milhões de euros.

A participação na Oi permitiu à PT permanecer no mercado brasileiro, uma das suas grandes apostas. A PT tem uma participação de 23,6% na Oi e a Oi tem 10% da PT.

O presidente executivo da nova empresa será Zeinal Bava, atual presidente da PT.

Cotação valoriza na bolsa

A cotação em bolsa da Portugal Telecom estava, às 08:10 de hoje, a valorizar mais de 8,5%, na sequência da proposta de fusão com a operadora brasileira de telecomunicações Oi divulgada na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Àquela hora, as ações da PT estavam a valer 3,7 euros cada uma, o que representa um crescimento de 8,56% face ao final da sessão de terça-feira.

A valorização das ações da PT contrastava com a queda registada pela outra operadora portuguesa, a nova Zon Optimus, cuja cotação caía 0,07%.