Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

OCDE diz que Portugal vai crescer 0,4% em 2014, metade do que prevê o Governo

Economia

  • 333

O 'Economic Outlook', hoje divulgado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico, prevê crescimento mais moderado para 2014 e 2015 e diz que, nestes dois anos, Portugal vai continuar a não cumprir metas do défice acordadas com a troika

A OCDE prevê que a economia portuguesa recue 1,7% este ano e que volte ao crescimento em 2014, mas apontando para um crescimento de apenas 0,4%, metade do previsto pelo Governo e pela 'troika'.

Para 2015, de acordo com o 'Economic Outlook', hoje divulgado, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) espera que Portugal registe um crescimento de 1,1%, inferior à previsão do Governo e da 'troika' (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional), que apontam para um crescimento de 1,5%.

Em 2013, a concretizar-se a previsão da OCDE, o recuo da economia será ligeiramente inferior ao previsto pelo Governo e pela 'troika' cuja previsão é de uma recessão de 1,8%.

Défice por cumprir em 2014 e 2015

Portugal não vai cumprir as metas acordadas com a 'troika', permanecendo com um défice acima de 3% em 2015, segundo a OCDE, que defende um desvio dos objetivos, se o crescimento for menor do que o previsto.

De acordo com o 'Economic Outlook', Portugal vai chegar ao fim deste ano com um défice orçamental de 5,7%, valor que deverá cair para os 4,6% em 2014 e para os 3,6% em 2015.

Todos estes valores estão acima dos objetivos acordados entre as autoridades portuguesas e a 'troika' (Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu), de 5,5% em 2013, 4% em 2014 e 2,5% em 2015.

Retoma na Zona Euro

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) projeta uma retoma da economia da zona euro nos próximos dois anos, mas moderada, de 1,0% em 2014 e 1,6% em 2015, desigual e rodeada de riscos.

A OCDE é ligeiramente menos otimista comparativamente às previsões económicas de outono publicadas no início do mês pela Comissão Europeia, que projeta um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no espaço do euro de 1,1% no próximo ano e de 1,7% em 2015, coincidindo ambas no recuo de 0,4% que ainda se verificará no ano em curso.

Reconhecendo que "a atividade económica na zona euro deverá recuperar em 2014 e 2015 à medida que a confiança vai melhorando, a fragmentação do mercado financeiro vai recuando e a consolidação orçamental vai sendo aliviada", a OCDE adverte todavia que "o ritmo (de retoma) continuará moderado", e desigual, "com sinais visíveis de recuperação nalguns países, mas desemprego extremamente elevado e tensões sociais profundas noutros".

Grécia retoma crescimento em 2015

A economia da Grécia deverá abrandar o ritmo de contração em 2014, para - 0,4%, retomando o crescimento em 2015, ainda que o elevado desemprego e a consolidação orçamental continuem a condicionar a evolução económica.

Este é o quadro central das previsões económicas divulgadas hoje pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) que insiste na necessidade de continuar a consolidação fiscal -- devido aos elevados níveis de dívida -- e a reforma e recapitalização do setor financeiro.

O relatório da OCDE melhora as previsões para os próximos anos, prevendo uma recessão de 0,4% em 2014 (em maio previa -1,2%) e um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,8% em 2015, neste caso, duas décimas acima da média prevista na zona euro.