Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Jovens que arriscam

Economia

  • 333

Há uma nova geração, cheia de ideias e destemida, a despontar em Portugal. São jovens que, desde cedo, começam a ganhar dinheiro com pequenos negócios. Saiba como criar uma empresa

Tiago Vidal tem 19 anos completados há duas semanas, a barba por enrijecer, um discurso determinado. É o fundador da Go Youth Conference - um evento único na Europa que reúne jovens empreendedores de todo o mundo -, vende serviços de design gráfico e está a criar um negócio que consiste em ajudar as empresas a resolver internamente os seus problemas. Ainda não ganha muito dinheiro mas também pouco investiu, tirando milhares de horas de trabalho e de pesquisas na internet. Desde que se meteu nestes negócios, há dois anos, já ouviu dezenas de "nãos" e enfrentou numerosas dificuldades. Nada que o faça estremecer. A lista de ideias que pretende experimentar continua a engrossar. "Gosto de começar do nada e de criar. Desde que seja sustentável e que gere o seu próprio retorno", diz. Neste momento, está a terminar o ano de pausa antes de entrar para a faculdade. Um período que foi essencial para conseguir pôr as ideias a andar.Apesar de o primeiro projeto ter surgido em 2012, com a organização da primeira conferência, este jovem de Almada há muito que se destaca pelas suas iniciativas. Aos 7 anos, aproveitava as conchas mais raras que apanhava com a avó na praia para fazer colares que vendia na loja de uma amiga da família. Aos 10 anos, ía com os amigos vender cartas do Pokemon para a porta da escola primária do lado. Entre os colegas, também fazia negócio. Certo dia, vendeu uma carta "valiosa" por cinco euros. E chegava a emprestar parte das suas poupanças a familiares mais próximos, a quem cobrava juros de 100 por cento. Estes primeiros ensaios serviram para aprender algumas lições, como a arte de convencer ou como é importante pensar num plano para captar clientes, depois de, em pleno verão e com 11 anos, ter estendido uma manta no chão de uma rua secundária para tentar vender os seus colares de conchas, sem sucesso, num dia de chuviscos. Tiago gosta de ganhar dinheiro. Mas não é isso que o faz mover. É, antes, um gosto acentuado pelo risco e por fazer algo diferente. Um pouco à semelhança do que sucede com muitos outros miúdos que, de uma maneira informal, se aventuram nos negócios e, na semana passada, tanto deram que falar por causa do jovem Martim Neves, da Linha de Cascais, que criou a sua marca de vestuário.

Com apenas 16 anos, Martim surpreendeu o País com uma resposta pronta, durante o programa Prós e Contras, da RTP, na segunda-feira, 20. Raquel Varela, investigadora da Universidade Nova, interrompeu o discurso do adolescente para lhe perguntar se as roupas que vende são fabricadas por trabalhadores que recebem o salário mínimo. Martim Neves argumentou que esses trabalhadores, pelo menos, "não estão no desemprego". Os aplausos da plateia ecoaram e, nas redes sociais, os vídeos com o episódio foram vistos por milhares de pessoas. A história do jovem de Cascais ganhou uma dimensão impensável, ao ponto de os pais o proibirem de dar entrevistas até que a época de exames escolares chegue ao fim.

4 passos - Como criar uma empresa

Nos dias de hoje, a constituição de uma sociedade é um processo simples. Para o fazer basta dirigir-se a qualquer balcão Empresa na Hora. Deverá ter consigo o cartão de contribuinte, documento de identificação e cartão de beneficiário da Segurança Social (facultativo). No caso de um dos sócios ser uma empresa já constituída tem de apresentar o cartão de empresa e a ata da assembleia geral que lhe confere poderes para a constituição dessa sociedade que pretende criar. Este serviço custa 360 euros e é pago no momento da constituição da sociedade.

Para mais informação pode consultar o site Empresa na Hora

Os passos que deve seguir são:

1- Escolher uma firma e um pacto social (sociedade unipessoal, por quotas ou anónima). Para melhor conhecer todas as possibilidades de constituição entre no Portal da Empresa

2 - Constituir essa sociedade em qualquer posto Empresa na Hora.

3-  Depositar o capital social numa instituição bancária, no prazo de cinco dias após a constituição. Pode ainda proceder à entrega deste capital aos cofres da empresa até ao final do primeiro ano de exercício.

4 - Designar um técnico oficial de Contas ou entregar a declaração de início de atividade nas Finanças, no prazo de 15 dias após a sua constituição.

Alguns conselhos

Estas são as etapas essenciais para criar uma empresa, mas existem outras, importantes para evitar problemas no futuro. 

Planeamento

É fundamental estruturar a sua ideia de uma forma clara e rigorosa. Se necessitar de capital, um bom plano de negócios pode ser a diferença entre conseguir ou não financiamento para arrancar ou expandira sua atividade. 

Financiamento

Arranjar capital para arrancar com a atividade é, talvez, o grande problema da maioria dos novos empresários. A banca está a fechar a torneira, não satisfazendo muitos dos pedidos de financiamento que recebe.

Capital de Risco

Uma das soluções passa por recorrer a empresas de capital de risco. Uma grande maioria dos novos projetos tem nascido, recorrendo a este tipo de instrumento financeiro. No site do IAPMEI, encontrará o Guia Prático de Capital de Risco, bem como um modelo de um plano de negócios.

Microcrédito

É outro recurso à disposição de quem queira iniciar um pequeno negócio e não tenha acesso à banca tradicional. 

Mais informação sobre microcrédito

 

Emprego próprio

Existe um programa do Instituto do Emprego e Formação Profissional de incentivo à criação do próprio emprego.