Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

INFOGRAFIA: Onde há (bons) empregos lá fora

Economia

Engenheiros, informáticos, arquitetos e técnicos de saúde têm muita oferta de emprego... no exterior. Confira o mapa interativo para saber quais as profissões mais procuradas por cada país e consulte o guia para trabalhar lá fora

GUIA PARA TRABALHAR LÁ FORA

É fácil para um cidadão português trabalhar noutro Estado-membro da União Europeia. O mesmo não a contece tratando-se de países fora deste espaço. Existem alguns aspetos que deve levar em conta na procura, nas negociações, ou mesmo na instalação no país de destino:

DIREITO

Os cidadãos da União Europeia têm o direito de trabalhar em qualquer Estado-membro e na Suíça, conforme consta no Tratado da União Europeia

PROCURA

A rede EURES destina-se a apoiar cidadãos comunitários na procura de trabalho noutros países comunitários. Esta rede dispõe de peritos que podem prestar aconselhamento sobre todas as questões relativas a condições de vida, alojamento, sistema fiscal, entre outros assuntos

PORTAL

O site da EURES (www.eures.europa.eu) disponibiliza, diariamente, mais de 1,3 milhões de ofertas de trabalho na União Europeia, que abrangem múltiplas profissões e atividades permanentes ou sazonais

CREDENCIAIS

Em certos países, algumas profissões são regulamentadas, o que pode obrigar à posse de um título, como a carteira profissional, certificado de aptidão, inscrição num determinado organismo, etc.

Informe-se, primeiro, e, depois, peça a equivalência para obter o reconhecimento do título em questão.

VANTAGENS

Nova experiência, valorização do currículo, aprendizagem (ou aperfeiçoamento) de uma língua estrangeira, aquisição de novas competências, entre outras mais-valias.

SALÁRIO

Esteja bem informado sobre os salários praticados na sua área profissional, no país de destino. Uma das razões que levam muitos empregadores a recorrerem a candidatos portugueses prende-se com o facto de, em Portugal, os salários serem mais baixos.

NEGOCIAÇÃO

Opte por estabelecer patamares, um mínimo e um máximo que estejam dentro das expectativas, quer do empregador quer do empregado.

OBSTÁCULOS

Lembre-se de que terá de se adaptar a uma nova cultura e a diferentes regimes laborais. Antes de aceitar a proposta de emprego, informe-se sobre o custo do alojamento e acerca dos impostos que terá de pagar sobre o salário bruto. Tome em atenção que em alguns países não se pagam 14 salários anuais (12 meses, mais o subsídio de férias mais o 13.º mês), como em Portugal.

LEIA TUDO SOBRE O EMPREGO NO ESTRANGEIRO NA EDIÇÃO DESTA SEMANA DA VISÃO