Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Hoje é dia de "quem dá menos?" na eletricidade

Economia

  • 333

Vários fornecedores de eletricidade vão a leilão, esta quinta-feira, oferecer o melhor preço aos mais de meio milhão de consumidores que aderiram ao desafio da DECO para pagar menos na fatura da eletricidade

A DECO acredita que o leilão termina hoje e sexta-feira será anunciado o melhor fornecedor para os 587.080 consumidores que aderiram.

"O leilão é feito em circuito fechado entre os operadores. As ofertas são apresentadas e os operadores vão reagindo, ou não, a cada uma das propostas. Pode haver uma última oferta e tem de haver um prazo para os restantes poderem reagir, daí a possibilidade, em teoria, de poder passar para o dia seguinte", explicou à Lusa, Rita Rodrigues da DECO.

Depois de apurado o operador com a melhor oferta de preço, e até dia 15 deste mês, a DECO vai contactar cada um dos consumidores inscritos e enviar por 'email' os cálculos de poupança oferecidos pelo novo fornecedor, para decidirem se querem contratar com o vencedor do leilão ou manter no operador atual.

Antes do leilão, uma equipa da DECO esteve a negociar com os operadores interessados em aderir, negociando as cláusulas e os pressupostos das propostas que vão ser hoje apresentadas a leilão.

"A parte contratual está fechada, é um dos pressupostos de adesão ao leilão. Não podemos arriscar que saia uma ótima proposta, mas que seja desastrosa do ponto de vista contratual", precisou Rita Rodrigues.

A DECO não informa, no entanto, que operadores vão hoje oferecer o preço mais baixo: "Um dos pressupostos do leilão é o pacto de confidencialidade sobre quem e quantos vão a leilão", adianta aquela responsável.

O convite aos consumidores para se juntarem e pagarem menos na fatura da luz foi lançado a 25 de fevereiro pela DECO no 'site' www.paguemenosluz.pt, prevendo-se que operadores como a EDP, Galp, Endesa ou Iberdrola, entre outros, possam hoje participar no leilão.

Ate final de maio, princípio de junho, a associação vai enviar as propostas individuais e até ao final de junho dá liberdade aos consumidores para decidirem qual o operador que querem escolher.