Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Governo vai estudar medida equivalente ao corte "alargada a todos os portugueses"

Economia

  • 333

O primeiro-ministro afirmou hoje que o Governo terá de encontrar "uma medida em termos orçamentais equivalente" ao corte dos subsídios de Natal e férias que "seja alargada a todos os portugueses", ou seja, uma medida que permita poupar 1.065 milhões de euros

Depois de o Tribunal Constitucional (TC)  ter declarado a inconstitucionalidade da suspensão do pagamento dos subsídios de férias ou de Natal aos funcionários públicos ou aposentados, Pedro Passos Coelho anunciou que o Governo vai apresentar o Orçamento do Estado de 2013 com "medidas orçamentais que sejam equivalentes" ao corte dos subsídios, o que implica ter que conseguir, pelo menos, uma poupança ou uma receita adicional de 1.065 milhões de euros.

"Temos de encontrar uma medida em termos orçamentais equivalente a esta [o corte dos subsídios] e que não pode deixar de respeitar esta medida do Tribunal Constitucional e que seja alargada a outros portugueses que não os funcionários públicos e os pensionistas", disse o chefe do Governo à entrada do Teatro Politeama, em Lisboa, para assistir à estreia do musical "Uma noite em casa de Amália", de Filipe La Feria.