Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

OE 2019: Emprego regressa finalmente ao pré-crise

ESPECIAL Orçamento do Estado

Tiago Miranda

Segundo as previsões do Governo, a população empregada vai atingir no próximo ano o número mais elevado desde 2008, muito perto dos cinco milhões de pessoas

Nuno Aguiar

Nuno Aguiar

Jornalista

O Orçamento do Estado para 2019 prevê um crescimento de 0,9% do emprego. O que significa que a população empregada deverá ascender a 4.995 mil pessoas, superando a marca de 2009 e aproximando-se do valor médio de 2008, antes da explosão da crise financeira internacional.

Recorde-se que, embora o mercado de trabalho português esteja a recuperar, ainda estamos longe da vitalidade de meados da década passada, quando o emprego superava frequentemente os 5,1 milhões.

Ainda assim, o Governo mostra-se menos otimista para 2019 do que estava há seis meses. Na altura, previa um crescimento do emprego de 1,1%, que agora é fixado em 0,9%. Os motivos parecem estar numa antecipação dessa melhoria: nesse exercício, o emprego avançava 1,9% em 2018. Agora? 2,5%.

No que diz respeito à taxa de desemprego, há maior otimismo para 2018 e 2019, com uma previsão de 6,9% e 6,3%, respetivamente. Caso se confirme o segundo valor, será o desemprego mais baixo desde 2002.

Como já tinha sido revelado, o OE 2019 prevê um crescimento económico de 2,2%, abaixo dos 2,3% estimados para este ano. Esse valor é resultado de um arrefecimento do consumo das famílias e das exportações, enquanto o investimento acelera para 7%.