Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Como pedir a um familiar ou amigo que devolva o dinheiro emprestado

Economia

  • 333

Reuters

Se há tarefa melindrosa é a de pedir a um amigo ou familiar a devolução de dinheiro emprestado. A melhor solução: não emprestar, sugerem os especialistas (e o bom-senso). Mas, ignorado este passo, aqui tem um guia para o ajudar

O Emily Post Institute, uma organização norte-americana especialista em etiqueta, ajudou o canal de Finanças da CNN a elaborar um guia para pedir a alguém que devolva dinheiro emprestado, sempre que se desrespeite a regra número um: "não emprestar dinheiro a amigos".

As regras base 

Fale pessoalmente: Não mande mensagens escritas, nem e-mails, nem telefone. Prefira convidar o amigo ou familiar em causa para um café ou uma cerveja, para que o ambiente possa ser mais descontraído, sugere Randy Cohen, autor de um livro que explica como "navegar a ética de tudo".

Deixe-se guiar pela relação: Decida o que é mais importante: ter o dinheiro de volta ou manter uma boa relação. E se perceber que se importa mais com a pessoa do que com o dinheiro - e puder - talvez seja melhor esquecer a dívida.

Cinco hipóteses de abordagem

1 - Puxar o assunto com empatia: "Fiquei feliz por te emprestar o dinheiro quando precisaste. É para isso que servem os amigos"

A estratégia: Está a lembrar o seu amigo que lhe deu a mão quando precisava. "Pôr as coisas nestes termos mostra empatia", defende Cohen. "O mais provável é que a pessoa se sinta mal por não pagar. Um tom compreensivo diminui as hipóteses de uma resposta hostil".

2 - Ser direto: "Quando achas que vais poder devolver-me os 500 euros que te emprestei?"

A estratégia: "Dar pistas" não leva a lado nenhum, defende Philip Galanes, outro especialista ouvido pela CNN, alegando que a pessoa em causa pode não perceber (ou não querer perceber). Aqui a ideia é semelhante à de arrancar um adesivo: é menos doloroso se for rápido e direto...

3 - A urgência: "Vamos precisar de pagar umas multas e dava-nos mesmo jeito esse dinheiro"

A estratégia: Claro que não deveria precisar de justificar por que quer o seu dinheiro de volta, mas pode ser útil invocar uma razão que sirva como pressão (convém que seja verdadeira...)

4 - Dar um prazo: "Gostava mesmo de ter o dinheiro de volta antes do final de junho"

A estratégia: Especificar um prazo para o pagamento é fundamental. De outra forma, o empréstimo pode prolongar-se indefinidamente

5 - Ofereça flexibilidade: "Achas que era mais fácil para ti pagar aos poucos, por exemplo, a 100 euros por mês?"

A estrtégia: A especialista em etiqueta Cynthia Lett sugere que repartir o pagamento em pequenas prestações pode ajudar quando é de prever a dificuldade em conseguir a devolução. E afinal de contas, se lhe emprestou o dinheiro é porque se preocupa com essa pessoa...