Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Bruxelas prevê desemprego recorde em Portugal mas início de retoma em 2013

Economia

  • 333

A Comissão Europeia prevê que a economia portuguesa volte a encolher 1% em 2013, mas comece a recuperar a partir do segundo trimestre, e que o desemprego atinja uma taxa recorde de 16,4% no próximo ano.

A Comissão Europeia antecipa mais um ano "turbulento" para a economia europeia, com um crescimento ligeiro em 2013, de 0,1% na zona euro e 0,4 no conjunto da União Europeia, e a continuação da escalada do desemprego.

No caso português, Bruxelas  está atualmente mais pessimista que o Governo e que a 'troika' quanto ao crescimento da economia portuguesa em 2014.

Prevendo que o desemprego atinja uma taxa recorde de 16,4% no próximo ano, a Comissão Europeia antevê um aumento do PIB de apenas 0,8% em 2014. Este valor é um pouco mais baixo que a previsão do Governo: 1,2%.

Estas previsões são muito semelhantes às apresentadas pela Comissão no mês passado, no âmbito da quinta revisão do memorando com a 'troika'. Bruxelas continua a prever, tal como o Governo, uma nova quebra de 1% do PIB português em 2013.

Bruxelas alerta ainda  que o cumprimento da meta para o défice este ano continua em risco, devido às incertezas que rodeiam a concessão da ANA-Aeroportos de Portugal e outras medidas.

Nas suas previsões económicas de outono, hoje divulgadas, a Comissão assume as metas definidas pelo Governo e pela 'troika' para o défice orçamental: 5% em 2012, 4,5% em 2013 e 2,5% em 2014. No caso deste ano, trata-se de um objetivo que já foi revisto  a meta inicial era 4,5%. No entanto, a Comissão nota que mesmo para este ano não é certo que o défice fique abaixo da meta: "Há alguns riscos sobre a projeção orçamental, nomeadamente a classificação da venda da concessionária dos aeroportos como medida de redução do défice pelas autoridades estatísticas e possíveis atrasos na implementação de medidas adicionais", lê-se no documento da Comissão.