Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

O que querem os novos trabalhadores e o que as empresas podem fazer para os agarrar

Economia

Os novos profissionais das áreas tecnológicas – como, aliás, toda a geração designada por Millennials – preocupam-se com o equilíbrio entre a vida pessoal e o emprego. Passar o dia no escritório, como fazem os seus pais, não é para eles. E os empregadores já vão tarde se ainda não se habituaram a esta realidade

LEIA TAMBÉM:

Não há emprego? Há, sim. Mas nada é como dantes

Criatividade

Ter liberdade para sugerir novas ferramentas ou tecnologias é importante

Flexibilidade

Uns procuram trabalho a tempo inteiro, outros preferem ser freelancers

Rapidez

Um processo de recrutamento demorado afasta os candidatos

Teletrabalho

A partir de casa e, por vezes, 
de outra cidade ou país

Experiência

De 
preferência com um período fora do País

Desafios

Procura-se um emprego ou um projeto desafiante, sem monotonias

Benefícios

Um bom salário não chega. 
São valorizados 
o seguro de saúde, 
a formação, 
o ginásio, etc.

Salário

Os trabalhadores querem total transparência no que diz respeito às componentes salariais

Horários

De novo, a procura pela flexibilidade e a recusa do horário rígido das 9h00 às 17h00

Ambiente informal

O tempo das gravatas no escritório está a chegar ao fim

Tamanho

Esse não importa. Seja numa startup ou numa grande empresa, o que interessa é fazer a diferença na sociedade

Como as empresas podem agarrar estes talentos

Como as empresas podem agarrar estes talentos
Nem todas as empresas acompanham a flexibilidade 
dos profissionais, quando estes querem trabalhar mais 
a partir de casa. Já dizia um político: “Habituem-se.” 
Ou então vão perder a hipótese de “agarrar” 
os mais talentosos. Alguns conselhos que 
os especialistas dão aos empregadores:

Tecnologia

Inovar e atualizar sempre a tecnologia usada nas empresas vai atrair os candidatos certos

Flexibilização

Nas organizações com mais de 500 pessoas é mais difícil, mas o teletrabalho pode ser incentivado

Avaliação

Por objetivos e não pela presença do trabalhador das 9h00 às 17h00 no escritório

Formação

Na DreamWorks, por exemplo, é possível, nas horas de trabalho, frequentar aulas de fotografia, escultura, pintura, cinema e karaté

Benefícios

O salário não chega. Pode ser complementado com benefícios como o seguro de saúde ou as stock options (opções de compra de ações da própria empresa)

Valorização

Mesas de matraquilhos, piscinas de bolas e áreas lounge já não atraem os melhores. Há que fazer uma proposta de carreira irrecusável ao candidato

Oportunidades

Oferecer um projeto claro de progressão na carreira, por exemplo

Talento

Desafiar as equipas de engenharia a participarem no recrutamento dos novos colegas 
(e não deixar a tarefa apenas nas mãos dos Recursos Humanos)