Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

As culturas que estão a mudar a agricultura nacional

Economia

Dreamstime

A VISÃO foi de norte a sul do País conhecer alguns dos casos de sucesso da uma nova geração de agricultores, dinâmica, inovadora, virada para os mercados internacionais, que está a revolucionar o setor em Portugal. O vinho, o azeite e os “novos” frutos vermelhos são culturas que todos os anos aumentam as exportações, mas há novas espécies

Portugal poderá atingir a suficiência alimentar em 2020, algo que nunca aconteceu na história recente. O estudo do Fórum para a Competitividade admite ainda que, se a tendência se mantiver, em 2027 o País poderá ser excedentário na alimentação em 10 por cento. Este estudo contabiliza as exportações e importações de produtos agrícolas, silvicultura, pescas e indústria agroalimentar.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística, nos últimos seis anos, as exportações de produtos agrícolas portuguesas aumentaram cerca de 40%, passando de 2,4 mil milhões de euros, em 2012, para 3,4 mil milhões de euros em 2016. Mais. Ao longo dos últimos cinco anos, o aumento da produção agrícola foi superior ao crescimento económico do País.

É na região do Alqueva onde se dá a grande parte desta transformação e onde se plantam frutos secos de forma intensiva e experimentam espécies novas. Veja quais:

• Canábis
Existem mais de 100 hectares de “erva” na região do Alqueva. Também para fins medicinais. Há outras duas empresas a querer investir

• Papoila branca
Essa mesmo, de onde se extrai o ópio. Na região do Alqueva já se plantaram cerca de dois mil hectares, que se usa para fins medicinais

• Amêndoa
É a cultura da moda e a grande aposta agrícola dos últimos anos. Até 2020, a área plantada poderá quadruplicar

• Noz
Ainda não tem a mesma expressão da amêndoa, mas a procura internacional por este fruto seco está a motivar fortes investimentos na plantação de nogueiras

LEIA O ARTIGO COMPLETO 'REGRESSO À TERRA' NA EDIÇÃO DESTA SEMANA DA VISÃO, QUINTA-FEIRA NAS BANCAS