Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Vêm aí as compras biométricas

Economia

© Fabrizio Bensch / Reuters

Até ao final deste ano, os portugueses podem começar a fazer compras na internet através de um sistema de biometria, sem senhas, pins ou passwords

Rita Montez

Rita Montez

Jornalista

A tecnologia que tem vindo a ser testada em alguns países do mundo pela Mastercard vai começar a ser utilizada em Portugal, permitindo aos consumidores portugueses comprar online sem necessidade de digitar senhas de acesso, bastando apenas fazer a leitura da biometria no seu smartphone ou fazer uma selfie e, depois de piscar os olhos, o sistema autentica a pessoa e autoriza o pagamento da compra.

O sistema desenvolvido pela Mastercard, conhecido por ID Check, vai começar por ser utilizado apenas com um cliente presente no comércio eletrónico mas, a partir do próximo ano, a empresa espera alargar as soluções de pagamento por contacto e biometria a outros parceiros, com a adesão de mais lojas e bancos.

Atualmente, já existem alguns cartões de débito e crédito em Portugal dotados com a tecnologia contactless, que dispensa a tradicional inserção do cartão, confirmando o pagamento por aproximação a um terminal. Nalguns parques de estacionamento, o sistema também já está disponível e, nas operações até 20 euros, os clientes não precisam de confirmar a operação. Só acima deste montante, é exigido um código. Em grande parte dos terminais das cadeias da Sonae, Auchan, Pingo Doce e Lidl, por exemplo, já existem terminais prontos para pagamentos por contactless mas poucos clientes os utilizam. No entanto, uma vez que os pontos de comércio com esta tecnologia a funcionar são escassos, a tecnologia tem sido pouco divulgada.

Num barómetro realizado pela Inmark para a Mastercard, só uma pequena percentagem de portugueses (31,1%) utiliza esta tecnologia de contactless apesar de 44,5% dos inquiridos afirmar que a conhece e 52,1% dos atuais cartões bancários ter esta opção por contacto. Apesar de os portugueses serem conhecidos pela enorme apetência para adotar as novas tecnologias, a maior utilização dos pagamentos online ou com novos sistemas de pagamento concentra-se na faixa etária entre os 24 e os 35 anos. Paulo Raposo, country manager da Mastercad em Portugal acredita que nos próximos anos estes cenários vão mudar radicalmente e que o comércio em Portugal, à semelhança do que sucede no resto do mundo, vai convergir no sentido de acabar com os cartões tradicionais para o recurso a outras opções mais simples como as carteiras digitais- para onde se transferem os dados para um cartão digital que reúne os dados dos cartões e pessoais e transmitem essas mesmas informações para o dispositivo que se utiliza no momento e autorizam a compra-, a tecnologia por contactless, por telemóvel ou através das soluções biométricas. Afinal, o futuro está mesmo aqui.