Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Samsung Galaxy Note 7 desligados para sempre

Economia

  • 333

© Kim Hong-Ji / Reuters

A Samsung parou a produção do Galaxy Note 7, o telefone que pode explodir ou arder sem razão aparente, e está a pedir aos utilizadores que o desliguem para sempre. Os prejuízos são brutais mas os danos na imagem podem ser ainda maiores

A Samsung anunciou o fim da produção do Galaxy Note 7, solicitou aos retalhistas que parem de vender o modelo e pediu aos clientes que desliguem os telefones ainda na sua posse, mesmo que já tenham sido substituídos. Com esta decisão drástica, o fabricante sul coreano quer encerrar de vez o incidente dos telefones que explodem e ardem sem razão aparente. E começar a fazer contas aos prejuízos, que segundo alguns bancos de investimento podem atingir 17 mil milhões de dólares (cerca de 15,2 mil milhões de euros).

“Reajustámos recentemente a produção para reforçar a investigação e o controlo de qualidade, mas colocamos a segurança dos consumidores em primeiro lugar e tomámos a decisão final de parar a produção do Galaxy Note 7”, anunciou a empresa em comunicado. Momentos antes, as ações da Samsung caíam 8% na bolsa de Seul, acusando a maior perda de valor desde a crise financeira em 2008.

Mais do que a saúde financeira da empresa, o que estará a preocupar os analistas são os danos na reputação da empresa, precisamente no momento em que tinha conquistado terreno ao concorrente Apple antecipando-se, com a sua nova linha de smartphones, ao lançamento do iphone7.

A Samsung já tinha pedido aos utilizadores do Galaxy Note 7 para desligarem os telefones, mesmo que fossem cedidos pela empresa em substituição dos adquiridos no mercado. Mas a decisão de parar a produção foi tomada depois de ter sido noticiado um incidente no aeroporto de Louisville, nos Estados Unidos da América, quando um Galaxy Note 7 de substituição explodiu durante o embarque dos passageiros. Algumas companhias aéreas proibiram entretanto a entrada destes equipamentos a bordo.

A 2 de setembro, a Samsung tinha assegurado que todos os telefones substituídos eram seguros, mas para evitar novos incidentes, a empresa cancelou a troca de smartphones. Até aquele momento, tinham sido reportados 35 casos no mundo inteiro, suspeitando-se de um defeito na bateria incorporada naquele modelo.

Através do seu site, a Samsung está a pedir aos donos dos Note 7 que podem optar por trocar o seu aparelho pelos novos modelos Galaxy S7 ou Galaxy S7 edge.