Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

IRS: Milhares de famílias aguardam reembolso

Economia

  • 333

As finanças prometem devolver mais de 200 milhões de euros de reembolso a 200 mil famílias ao longo dos próximos dias 

O prazo para entrega do IRS referente ao ano de 2011 pela Internet terminou no passado dia 31 de Maio. Muitos contribuintes aguardam o reembolso e estranham o atraso. A sobretaxa aplicada sobre o subsídio de Natal e, no caso dos funcionários públicos, a retenção dos subsídios de férias faz com que o reembolso do IRS seja fundamental para equilibrar a contabilidade de milhares de famílias.

Os serviços do IRS contam ter todos os pagamentos realizados até ao final do mês de Junho. As Finanças dizem que "não existe qualquer tipo de atraso no pagamento dos reembolsos de IRS" e que os pagamentos estão a ser efetuados após a liquidação das declarações de rendimentos e respetiva validação pela AT.

A Autoridade Tributária (AT) conta devolver mais de 200 milhões de euros, a 200 mil famílias, ao longo dos próximos dias. Em comunicado, as finanças esclarecem que de acordo com as informações disponibilizadas pela Autoridade Tributária foram pagos reembolsos a mais de 1,5 milhões de famílias, no valor superior a 1,1 mil milhões de euros.

 A VISÃO contatou diversos contribuintes que entregaram o IRS relativo a 2011 através da Internet, no início do mês de Maio. A maioria recebeu informação via correio electrónico que a declaração tinha sido validada pelos serviços centrais. No portal das finanças a declaração destes contribuintes surge como liquidada e o NIB confirmado mas... o dinheiro tarda em chegar aos contribuintes. 

O prazo para o fisco pagar aos contribuintes depende de vários fatores. Entregar a declaração através da Internet, não ter dívidas fiscais, o número de identificação bancária estar correto, não ter erros, nem divergências, e não ter sido selecionado para inspeção pela AT. Segundo a edição de sexta-feira do jornal Correio da Manhã, foram entregues mais de 4,7 milhões de declarações de imposto, correspondentes aos trabalhadores por conta de outrem e pensionistas (1ª fase) e aos trabalhadores com recibos verdes (2ª fase). Deste universo mais de dois milhões não têm direito a reembolso.