Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Maria de Villota, uma morte inesperada após ano de pesadelo

Desporto

  • 333

Reuters

A piloto espanhola Maria de Villota faleceu hoje em Sevilha, ainda por motivos desconhecidos, a três dias de apresentar o livro sobre a sua vida

A piloto espanhola Maria de Villota faleceu hoje em Sevilha, ainda por motivos desconhecidos, a três dias de apresentar o livro sobre a sua vida: "La vida es um regalo" (A vida é um presente).

A ex-piloto de testes de Fórmula 1, que tinha deixado de correr depois de sofrer em 2012 um grave acidente, que lhe custou um olho, foi hoje encontrada morta num quarto de hotel em Sevilha, onde estava alojada, segundo fontes policiais.

De acordo com fontes médicas, os dados iniciais apontam para que a morte tenha ocorrido devido a causas naturais, ainda que agentes da Policia Científica e do Grupo de Homicídios fossem destacados para o local.

 

Maria de Villota, de 33 anos, encontrava-se em Sevilha para participar num ciclo de conferências e iria apresentar segunda-feira a sua autobiografia.

Villota nasceu a 13 de janeiro de 1980 em Madrid e era filha de Emilio de Villota, piloto espanhol que participou em provas de Fórmula 1 nos anos oitenta.

Licenciada em Ciências da Atividade Física e do Desporto, a sua paixão pelo automobilismo nasceu desde cedo pela mão do seu pai.

 

Em 1996 disputou a sua primeira prova de karting, na qual obteve a primeira vitória, que marcou o início da sua careira no mundo automóvel.

A partir de então competiu em diversas categorias de monolugares, como a Fórmula 3 espanhola, as 24 Horas de Daytona, a Euroseries 3000 e a Superleague Fórmula.

Em todos estes anos alcançou resultados destacados, como o facto de ser a única mulher vice-campeã de Espanha (Fórmula Toyota, 2001), ou a primeira mulher a alcançar a "pole position" no campeonato de Ferrari, no circuito de Mugello, em 2005.

Em agosto de 2011 Maria de Villota realizou sessões de treino com a escuderia de Fórmula 1 Lotus Renault no circuito francês de Paul Ricard, e meses depois, em março de 2012, assinou como piloto de testes da Marussia.

A 03 de julho sofreu um acidente durante uma sessão de treinos no aeródromo de Duxford, no Reino Unido, que lhe causou a perda de um olho e graves sequelas.