Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Derrota de Telma faz acionar plano de emergência na comitiva portuguesa

Desporto

  • 333

A chefia da missão portuguesa aos Jogos Olímpicos vai acionar, de imediato, um plano de acção para evitar ondas de choque negativas entre os outros atletas portugueses, após a derrota inesperada da judoca Telma Monteiro.

Rui Tavares Guedes em Londres

Há dois objectivos prioritários, neste momento, na chefia da missão portuguesa aos Jogos de Londres 2012: confortar e recuperar a judoca Telma Monteiro, eliminada de forma surpreendente logo no primeiro combate, e impedir que uma eventural onda negativa possa alastrar aos outros atletas portugueses concentrados na capital britânica.

Na véspera do dia mais importante para o judo nacional, com as presenças de Telma Monteiro e de João Pina, a chefia de missão reuniu e estudou todos os cenários possíveis que poderiam ocorrer.

"Vimos o que poderia e deveria ser feito em caso de medalhas, fossem elas quais, e de eliminação prematura. Numa competição com esta dimensão não se pode improvisar", disse Nuno Delgado, o vice-chefe de missão, presente no ExCel, o pavilhão onde decorrem as competições de judo.

Para já, sabe-se que o plano passa por fechar o mais possível o grupo, para tentar impedir ondas de desânimo e frustração. "Mas outras respostas vão depender da forma como o País e a comunicação social reagirem à derrota da Telma." Pelo menos, há um plano