Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

"A menina Bolt", Brianna Lyston é a nova promessa do atletismo mundial

Desporto

O nome pode não lhe ser familiar, mas a jamaicana de apenas 12 anos já bate recordes surpreendentes no atletismo e é considerada a sucessora de Usain Bolt

A Jamaica pode ter encontrado uma sucessora para Usain Bolt. Aos 12 anos de idade, Brianna Lyston teve uma prestação surpreendente na edição deste ano da maior competição entre escolas da Jamaica, os Boys and Girls Championships.

Lyston tornou-se a primeira atleta com menos de 13 anos a correr numa prova sub-24 e espantou a Jamaica, no passado fim de semana, com os tempos alcançados. A atleta de 12 anos conquistou os títulos de 100 e 200 metros, com registos muito abaixo da média para a sua idade e precisamente no mesmo palco onde Bolt deu as primeiras cartas no atletismo e onde conquistou a primeira medalha de prata nos 200 metros, em 2001, com 22,04 segundos. Tinha 14 anos.

Os tempos que a atleta atinge aos 12 anos estão a pouco mais de dois segundos do recorde mundial feminino sénior, na corrida de 200 metros.

Apesar dos resultados serem esmagadores, a jamaicana já conseguiu tempos melhores: a corrida de 23,46 segundos, na semifinal de 200 metros, podia ter sido melhor se o vento estivesse a favor de Lyston. Tempo que recuperou na competição final de 100 metros, com um registo de 11,86 segundos, 0,22 de vantagem sobre a segunda classificada, Danae Nembhard.

Bolt, de 30 anos, oito vezes campeão, prepara-se para deixar as pistas após o campeonato de atletismo de 2017, em Londres. Apesar da diferença de idades, Brianna apresenta um historial que promete dar continuidade aos lendários resultados da Jamaica nas competições séniores.

Toya Bennett, mãe de Brianna, disse ao The Telegraph "estou tão orgulhosa dela! Foi fantástico vê-la. Ela treina muito e quando ela saiu da pista estava satisfeita". Mas Brianna deixou um aviso: "Acho que posso correr muito mais rápido, quero atingir os 23.80 segundos. O meu treinador disse para participar nas meias-finais e eu tenciono dar o melhor em cada corrida", disse a atleta ao jornal jamaicano Gleaner.

Assim como Brianna, Bolt destacou-se no atletismo ainda em idade escolar. Tornou-se o corredor mais rápido de 100 metros na escola que frequentava, Waldensia Primary, aos 12 anos. Mas só dois anos depois deixou o futebol e o críquete para de dedicar totalmente ao atletismo, quando causou uma grande impressão no campeonato nacional de atletismo.

A prestação triunfante de Lyston, no fim de semana passado, não passou despercebida aos governantes. "Brianna Lyston, atleta da Classe 4 de St. Jago, é excecional! Sinto que vamos dizer o nome dela durante anos", elogiou o ministro da Educação da Jamaica, Floyd Green. Para já, a ideia da atleta é continuar a trabalhar. Após o triunfo do fim de semana, Brianna escreveu na sua página no Facebook o lema latino "trabalho omnia vincit" (o trabalho conquista tudo). Será uma promessa?