Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

O rock invadiu a cidade no segundo dia de festival

Cultura

  • 333

Os Muse mostraram porque é que são considerados uma das melhores bandas ao vivo da actualidade, durante o concerto do Rock in Rio, no Rio de Janeiro. As outras actuações internacionais da noite de sábado, no palco principal, foram os Florence and the Machine e os Thirty Seconds to Mars, liderados por Jared Leto, que fez slide durante a actuação

MÁSCARA, CAOS E SILÊNCIO - É a primeira sensação e uma espécie de passaporte para uma nova realidade: o momento em que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se confunde com a esperança que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se
1 / 20

MÁSCARA, CAOS E SILÊNCIO - É a primeira sensação e uma espécie de passaporte para uma nova realidade: o momento em que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se confunde com a esperança que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se

moonspell
2 / 20

moonspell

3 / 20

moonspell
4 / 20

moonspell

moonspell
5 / 20

moonspell

moonspell
6 / 20

moonspell

moonspell
7 / 20

moonspell

moonspell
8 / 20

moonspell

moonspell
9 / 20

moonspell

moonspell
10 / 20

moonspell

moonspell
11 / 20

moonspell

moonspell
12 / 20

moonspell

moonspell
13 / 20

moonspell

moonspell
14 / 20

moonspell

moonspell
15 / 20

moonspell

moonspell
16 / 20

moonspell

moonspell
17 / 20

moonspell

moonspell
18 / 20

moonspell

moonspell
19 / 20

moonspell

moonspell
20 / 20

moonspell

Na noite de sábado, dia 14, as guitarras distorcidas fizeram-se ouvir pelo recinto. Os britânicos Muse, cabeças de cartaz da noite, desfilaram os seus principais sucessos pelo palco mundo. Supermassive Black Hole, Madness e a fantástica cover do tema Feeling Good (uma canção que foi cantada por Nina Simone, entre outros) foram alguns dos momentos altos do concerto.

A energia e solidez da banda justificam que sejam considerados uma das melhores bandas de rock ao vivo da actualidade. O vocalista do grupo, Matthew Bellamy, desceu à plateia e, claro, não faltaram uma bandeira do Brasil sobre os ombros, nem os desajeitados "obrigadas" mas, apesar da qualidade do espectáculo, notou-se que a banda ainda não conquistou uma legião de fãs brasileiros com tamanho suficiente para incendiar o recinto.  

Os Florence and the Machine conseguiram criar uma relação de empatia com o público, que saltou, levantou os braços e deu abraços, de acordo com as ordens de Florence Welch. Os temas You've Got the Love e Say My Name foram dos mais ovacionados da noite.

O vocalista dos Thirty Seconds to Mars a fazer slide sobre o recinto

 

Os norte-americanos Thirty Seconds to Mars actuaram depois dos brasileiros Capital Social, que abriram o Palco Mundo. O espectáculo foi cuidadosamente encenado pela banda. O vocalista, Jared Leto, até usou uma das principais atracções do recinto, o slide de 200 metros, depois de cantar, acompanhado pela sua guitarra acústica, dois dos temas mais populares da banda: Hurricane e The Kill.  

No palco Sunset, o destaque vai para o espectáculo de homenagem ao cantor e compositor brasileiro Raul Seixas, falecido em 1989. O encontro juntou os Detonautas, Zeca Baleiro e Zélia Duncan em mais um concerto de celebração da herança da música brasileira.

Esta noite, domingo, 15, os cabeças de cartaz são Alicia Keys e Justin Timberlake.