Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Depeche Mode mostraram vitalidade no Optimus Alive

Cultura

  • 333

VEJA AS FOTOS dos concertos de sábado. Este domingo, o festival lisboeta chega ao fim, com os Kings of Leon a fazer as honras de cabeças de cartaz

Optimus Alive 2013
1 / 12

Optimus Alive 2013

Optimus Alive 2013
2 / 12

Optimus Alive 2013

Optimus Alive 2013 - Jurassic 5
3 / 12

Optimus Alive 2013 - Jurassic 5

Optimus Alive 2013 - Editors
4 / 12

Optimus Alive 2013 - Editors

Optimus Alive 2013
5 / 12

Optimus Alive 2013

Optimus Alive 2013 - Depeche Mode
6 / 12

Optimus Alive 2013 - Depeche Mode

Optimus Alive 2013 - Depeche Mode
7 / 12

Optimus Alive 2013 - Depeche Mode

Optimus Alive 2013 - Depeche Mode
8 / 12

Optimus Alive 2013 - Depeche Mode

Optimus Alive 2013
9 / 12

Optimus Alive 2013

Optimus Alive 2013 - Depeche Mode
10 / 12

Optimus Alive 2013 - Depeche Mode

Optimus Alive 2013
11 / 12

Optimus Alive 2013

Optimus Alive 2013
12 / 12

Optimus Alive 2013

Os ingleses Depeche Mode deram um concerto no sábado, no festival Optimus Alive, em Algés, convencendo os fãs que a idade não pesa sobre um repertório com mais de trinta anos.

Apesar de terem lançado este ano "Delta Machine", abrindo o concerto com dois dos temas novos, Dave Gahan e Martin Gore resgataram do passado grande parte do alinhamento.

O vocalista, de 51 anos, foi parco nas palavras, mas não se poupou nas movimentações em palco, entre o sensual e agitador de massas, apelando à participação do público, como aconteceu em "Walking im my shoes" e "Enjoy the silence".

Num recinto substancialmente mais preenchido do que na sexta-feira, a banda tocou cerca de vinte temas, incluindo "Precious", "Judas" (com Martin Gore a cantar) e, já no encore, "Halo" e "Just can`t get enough".

Para muitos foi uma descoberta, mas para a maioria foi reviver as canções de uma banda com 33 anos que se mostrou em forma no regresso a Portugal.

Uma das provas de que há mais festivais dentro do festival é que, à hora em que os Depeche Mode enchiam o recinto junto ao palco maior, o inglês Jamie Lidell fazia a festa no palco secundário para cerca de 4.000 pessoas, numa mistura de soul, funk e eletrónica. Lidell atuou entre dois nomes portugueses, Capitão Fausto e Legendary Tigerman, que tiveram uma plateia de fiéis seguidores.

Uma das atuações mais suadas da noite pertenceu aos portugueses Throes + The Shine que ocuparam o coreto e colocaram todos os espetadores a dançar e a pular freneticamente a mistura de kuduro e rock.

O segundo dia do festival registou maior afluência em relação a sexta-feira, mas a organização não avançou números oficiais de vendas de bilhetes.

Hoje é a noite de Kings of Leon 

O festival Optimus Alive termina hoje em Algés (Oeiras) com o regresso dos norte-americanos Kings of Leon e Phoenix e com as estreias em Portugal do inglês Jake Bugg e dos australianos Tame Impala.

Os Kings of Leon, dos irmãos Followill, que editam em setembro o álbum rock "Mechanical Bull", atuarão às 23:00, mas há ainda muito festival para palmilhar até ao fim, com a atuação dos norte-americanos Band of Horses, Django Django, The Bloody Beetroots e Alex Metric.

Até à entrada em cena dos Kings of Leon, os festivaleiros podem ainda ver os franceses Phoenix, que regressam com o álbum "Bankrupt", de abril, e, em estreia em Portugal, o indierock dos australianos Tame Impala.