Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Crónicas escritas para a VISÃO valem prémio a Ricardo Araújo Pereira

Cultura

  • 333

O Grande Prémio da Crónica foi atribuído a Ricardo Araújo Pereira pelo livro "Novas Crónicas da Boca do Inferno", anunciou a Associação Portuguesa de Escritores

O Grande Prémio da Crónica foi atribuído a Ricardo Araújo Pereira pelo livro "Novas Crónicas da Boca do Inferno", anunciou hoje a Associação Portuguesa de Escritores (APE) que o instituiu.

O prémio, no valor de cinco mil euros, foi atribuído "por unanimidade" pelo júri que foi constituído pelos escritores Alice Vieira, Jorge Marmelo e o professor da Faculdade de Letras de Lisboa, Manuel Frias Martins.

O prémio é patrocinado pela Câmara Municipal de Sintra e distingue obras que foram publicadas em 2009 e 2010.

O livro "Novas Crónicas da Boca do Inferno", foi publicado em Novembro de 2009 e é uma coletânea das suas crónicas semanais na revista VISÃO.

O humorista Ricardo Araújo Pereira, de 39 anos, é natural de Lisboa, e iniciou carreira como jornalista no Jornal de Artes Letras & Ideias.

Como argumentista integrou as Produções Fictícias, tendo sido co-autor de vários programas televisivos, nomeadamente os apresentados pelo humorista Herman José, tanto na RTP como na SIC e na RDP.

Foi colunista com os jornais Expresso e Diário de Notícias.

Em 2003 o autor começou a enfrentar as câmaras de televisão, designadamente no canal SIC no programa "Levanta-te e ri", altura em que se associou a José Diogo Quintela, Tiago Dores e Miguel Góis e constituiu o coletivo Gato Fedorento que participa em várias séries da SIC Radical e mais tarde na RTP.

Atualmente escreve em vários jornais e revistas, participa em programas semanais de rádio, designadamente na TSF e em "Governo Sombra", com Pedro Mexia e João Miguel Tavares, transmitido também na TVI.

Os escritores Maria Judite de Carvalho, Ilse Losa, Manuel Poppe, Álvaro Guerra, Mário Cláudio, Baptista-Bastos e José Cutileiro já foram distinguidos com este prémio.

"O Prémio será entregue, em sessão pública a realizar oportunamente", afirma em comunicado a APE.