Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Ana Moura deu a volta ao fado

Cultura

  • 333

Ao quinto álbum, Ana Moura deu a volta ao fado e escolheu um destino mais feliz. Gravado em Los Angeles, Desfado é uma festa de grandes compositores e letristas, a descobrir canção por canção com a cantora como guia

Já cantou com os Rolling Stones e Prince foi a Paris só para lhe segurar na cauda do vestido. Ana Moura é a fadista do momento. Prova disso é a longa tournée que fez nos Estados Unidos e que, em 2013, se repete, com ainda mais datas.

Após quatro álbuns produzidos por Jorge Fernando, a fadista ribatejana arrisca e voa. Produzido por Larry Klein, o produtor de Joni Mitchell, e Herbie Hancock, entre muitos outros, o álbum reúne originais de alguns dos melhores músicos e letristas portugueses da atualidade, de Pedro Silva Martins (Deolinda) a Manuel Cruz (Ornatos), passando por alguns "fados" cantados em inglês. Uma enorme surpresa desenhada para ganhar um Grammy.

Para Ana Moura é tudo muito simples: "Foi o disco que me apeteceu fazer.

1 - Desfado (Pedro da Silva Martins) "O  meu fado é não ter fado nenhum"Este disco tem fado e temas onde se desconstrói o fado, mas não é a negação de nada. A letra tem tudo a ver comigo e com o momento que estou a atravessar. É um tema próximo da música tradicional. Aliás, o Larry Klein quis conhecer não só o fado mas também a música popular e eu mostrei-lhe vários instrumentos portugueses. O desafio, aqui, foi pegar noutros instrumentos e dar-lhes a sonoridade da tradição portuguesa. 

2 - Amor Afoito (Nuno Figueiredo/Jorge Benvinda) "Sabes que não minto, tonto/ Meu mal é ter verdade a mais"Os Virgem Suta têm uma linguagem muito portuguesa, na música e nas letras. As palavras são bastante irónicas. Liricamente, tem muito a ver com o fado, mas com uma fadista que faz parte desta geração. Fala das coisas de forma mais descomprometida.

3 - Até ao Verão (Márcia) "E a mim/ que importa/ se é bem ou mal"A Márcia é uma daquelas escritoras de canções que tem um estilo muito marcado: mal se começa a ouvir, percebe-se que a canção é dela. Apresentou-me a música à viola e senti logo um cheiro de morna. Foi amor à primeira vista, achei logo que ia ser o single. É dos temas que foge mais ao fado, mas é perfeito para representar o que o disco é.

4 - Despiu a Saudade (Paulo Abreu de Lima/António José Zambujo) "Despiu a saudade depois do jantar"O Tó Zé tem uma linguagem muito própria, sobretudo na interpretação. Não é tão vincado na composição. Há uma descontração do próprio fado na letra. Este é um disco de partilha, por isso gosto que esteja presente a marca de todos esses autores. 

5 - A Case of You (Joni Mitchell) "Oh I could drink a case of you darling/ Still I'd be on my feet"Foi uma surpresa também para mim. Nunca pensei gravar em inglês. A sugestão foi do Larry Klein e, vindo dele, que produziu A Case of You para a Joni Mitchell, achei que era uma honra e não podia recusar. Ele já me tinha ouvido cantar No Expectations e Brown Sugar, dos Rolling Stones. Aquele momento foi muito especial. O Larry Klein ficou tão entusiasmado que até foi mostrar o resultado à Chaka Khan, que estava a gravar no estúdio da frente. 

6 - E tu gostavas de mim (Miguel Araújo Jorge) "Dava-se outro caso assim/ E tu gostavas de mim"Volta a falar de aviões e meios de transporte. É um fado mais ritmado, com uma linguagem muito portuguesa. Musicalmente, serviu para descobrir novas sonoridades. Foi usado um Fender Rhodes e toy pianos, nunca tinha trabalhado com estes instrumentos. Fiquei felicíssima com o resultado.

7 - Havemos de Acordar (Pedro Silva Rodrigues) "Eu hei de inventar um fado/ um fado novo, um fado/ que me embale a voz/ e me adormeça a cantar"É a minha fotocópia. Sou sempre ao contrário das pessoas com quem me dou. É impressionante a forma como o Pedro me conhece, ao ponto de escrever uma letra assim.

  8 - A Fadista (Manuela de Freitas/Fado Primavera) "E em frente dela, na mesa/ Como em frente de uma deusa/ Em silêncio, ouve-se o fado"O disco tem todos estes compositores com uma linguagem muito atual, e, em contraste, aparece este tema. É a descrição da fadista de uma outra geração. Gosto muito do poema. E a maneira como resolve positivamente o julgamento da fadista, através do canto. Eles acabam por pedir perdão por a julgarem.

9 - Se Acaso um Anjo Viesse (Aldina Duarte/Fado Macau) "Toda a vida que é vivida/ Dá mais vida ao coração"Conheço a Aldina desde o tempo em que trabalhámos juntas, no Senhor Vinho. Já lhe tinha pedido vários poemas, mas julgo que este foi ela que me entregou espontaneamente. Ela escreve muito bem e sabe traçar um caráter. Sendo fadista, tem outra sensibilidade.

10 - Fado Alado (Pedro Abrunhosa) "Um Povo que vive no Fado/ A alma de ser diferente"Este já era um desejo antigo, sempre quis ter um tema dele. Gosto muito do Pedro Abrunhosa, é um grande compositor. Ele disse-me que tinha medo de fazer um fado. Na letra, começa por descrever Portugal, de norte a sul. A música foi-me entregue pouco tempo antes de entrar em estúdio.

11 - A Minha Estrela (Hermano Sobral/Luísa Sobral)"No azul silento do céu/ brilha uma estrela sozinha"Sou amigo da Luísa e o tio dela, o Hermano Sobral, já escreveu muito para fado, até mesmo alguns clássicos. Ela é uma excelente música, toca vários instrumentos e é muito criativa. Além disso, gosto de cantar mulheres que façam parte da minha geração.

12 - Thank You (David Poe) "Thank you for making me cry"É uma composição de um amigo do Larry Klein. Durante a preparação do disco, ele foi falando com vários amigos, incluindo o Herbie Hancock, e o David Poe apareceu com esta música. Foi tudo um acaso. Os temas em inglês podem funcionar como porta de entrada, tal como aconteceu com o No Expectations, no projeto dos Stones. Outras pessoas não acharão muita graça ouvir uma fadista a cantar em inglês. 

13 - Como Nunca Mais (Tó Zé Brito) " Eu quero viver cada dia/ Como nunca mais"Esta música é muito Tó Zé. Ofereceu--ma, já há imenso tempo, como se fosse uma relíquia. De facto, é muito bonita.

14 - Com a cabeça nas nuvens (Mário Rainho/Fado Nazaré) "Com a cabeça nas nuvens/ Passo a vida meia tonta/ Sempre a pensar que tu vens,/ Num jogo de faz de conta"O Mário Rainho tem estado presente em todos os meus álbuns. É aquela marca do fado tradicional. Ele está sempre preocupado com todas as sílabas, tudo se encaixou na perfeição. É uma pessoa com quem aprendi imenso sobre o fado tradicional.

15 - O Espelho de Alice (Nuno Miguel Guedes/ Fado Santa Luzia) "O coração é velhice/ E na loucura de Alice/ Vejo-me do outro lado"Pedi ao Nuno um poema para o Fado dos Sonhos, mas acabei por usá-lo no Fado Santa Luzia. Ele inspirou-se na Alice no País das Maravilhas. E este disco tem mesmo algo de loucura e de sonho.

16 - Dream of Fire (Ana Moura) "I dream of fire/where I used to lay your head"Eu assino, mas o poema não é meu, apenas a música. Quando acabei de a compor enviei a um amigo, com quem costumo partilhar estas coisas, e ele quis juntar-lhe uma letra. Como não é português, escreveu na sua língua original. Ele prefere guardar o anonimato. 

17 - Quando o sol espreitar de novo (Manuel Cruz) "Quis ser feliz /Eu sei que sempre quis alguma coisa"Estava em Londres com o meu manager e comentei que adorava ter um tema do Manuel Cruz, porque sou fã dos Ornatos Violeta. Telefonou de imediato ao Manuel e ele quis falar comigo. Era de manhã, eu estava com a voz ainda mais grave do que é costume. Ele comentou: "A tua voz é tão gira assim, vou escrever uma música inspirada na tua voz pela manhã." A canção é muito dark, mas tem algo de esperançoso. Os músicos diziam que estávamos a entrar num universo paralelo. 

Vídeo You Tube/Direitos Reservados