Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

"É como o tipo do massacre na Nova Zelândia - não dizemos o nome dele": Terry Gilliam ataca o produtor Paulo Branco

Cultura

NurPhoto/Getty Images

O realizador de O Homem Que Matou Dom Quixote critica o português, devido às batalhas judiciais que estão a dificultar o lançamento do filme. "Ele estava convencido de que era o maior produtor do planeta"

Em entrevista à Rolling Stone, o realizador britânico Terry Gilliam queixa-se dos processos interpostos por Paulo Branco, atacando-o violentamente mas recusando-se a referir o seu nome. "Os maiores problemas foram no final, com as maquinações legais do produtor português desconhecido. Não volto a dizer o nome dele. É como o tipo do massacre na Nova Zelândia: 'Não dizemos o nome dele" [risos]."

Gilliam, que se tornou famoso por pertencer aos Monty Python e realizou sucessos comerciais ou de crítica como 12 Macacos, O Rei Pescador e Brasil, explica o envolvimento do produtor em O Homem Que Matou Dom Quixote e de que forma os processos que se seguiram estão a impedir uma estreia mundial. "Ele esteve envolvido durante quatro meses. Nos 20 e poucos anos que tentei fazer o filme, envolvi-me com muitos outros produtores que participaram durante muito mais tempo. Mas ele estava convencido de que era o maior produtor do planeta, o único que conseguiria fazer o filme."

Produtor Paulo Branco

Produtor Paulo Branco

Eamonn M. McCormack/Getty Images

"Quando não conseguiu", continua o realizador, "foi como lidar com um ego que enlouqueceu completamente. Em última análise, o seu processo no Festival de Cannes foi uma questão de arrogância e fracassou. Estávamos em três processos [com ele] naquele momento: um relativo ao festival, outro ao lançamento do filme em França, e outro técnico. Ele perdeu-os todos."

O jornalista da Rolling Stone pergunta, então, de que forma as ações judiciais afetaram o lançamento do filme. Terry Gilliam admite que a batalha está longe do fim. "Isso assustou muita gente, como a Amazon. Ainda não temos a distribuição no Reino Unido resolvida. Mas aqui [EUA] estamos, prestes a fazer a estreia - 'uma noite só'. Há um lançamento secundário a19 de abril, mas será muito limitado, acho que em 10 cidades ou 10 salas ou 10 casas de pessoas. Não tenho certeza de qual."

O Homem Que Matou Dom Quixote tem sido um pesadelo para Terry Gilliam, que está a tentar produzi-lo desde 1989. Além das polémicas com Paulo Branco, o filme, em parte rodado em Portugal, tornou-se notícia no País devido aos alegados danos que causou no Convento de Cristo, em Tomar. Os responsáveis pelo monumento vieram, mais tarde, negar que os danos tivessem sido significativos.

ASSINE AQUI A VISÃO E RECEBA UM SACO DE OFERTA