Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Os 5 filmes liderados por mulheres que mais lucraram na história do cinema

Cultura

ROBYN BECK/ Getty Images

Capitão Marvel ultrapassou a icónica marca dos mil milhões de dólares na bilheteira. É mais uma prova de que os filmes com mulheres nos papéis principais não são menos bem sucedidos do que os outros. Pelo contrário - um estudo recente diz mesmo que elas fazem mais dinheiro do que eles. Veja aqui os "filmes femininos" campeões de bilheteira

O mais recente filme de super-heróis também bate recordes de bilheteira, como os outros da Marvel. Mas este é diferente dos outros: Capitão Marvel, que esta semana chegou aos mil milhões de dólares (€890 milhões), é protagonizado por uma atriz, Brie Larson.

Este sucesso não é novidade. Apesar das diferenças pornográficas de salário entre atores e atrizes, a verdade é que os filmes com mulheres nos papéis principais têm corrido melhor nas bilheteiras do que os outros, segundo um estudo publicado em dezembro, que analisou os 350 filmes que mais dinheiro fizeram entre 2014 e 2017.

Mas quais foram os grandes campeões de bilheteira? Para já, Capitão Marvel ainda não entra no top 5. Veja aqui a lista dos maiores sucessos de filmes em que elas reinam.

5. Alice no País das Maravilhas (2010) – €912 milhões

No filme, que pega numa história infantil e lhe dá uma atmosfera sombria e adulta, Alice regressa ao País das Maravilhas, onde se encontra com as personagens clássicas e descobre que o seu verdadeiro destino é pôr fim ao reinado de terror da Rainha Vermelha. A atriz que interpreta Alice é Mia Wasikowska, que até aqui tinha uma carreira discreta. “Queríamos alguém que tivesse uma certa gravidade inerente, uma vida interna, alguém que conseguíssemos imaginar a pôr as engrenagens a girar. Mia não é extravagante, não é pomposa, é alguém que tem muita personalidade. Foi por isso que a escolhemos", dise Tim Burton, o realizador.

O País das Maravilhas é controlado essencialmente por mulheres, a Rainha Vermelha e a Rainha Branca, interpretadas, respetivamente, por Helena Bonham-Carter e Anne Hathaway, e por Alice, que tem em si o papel de decidir o futuro do reino enquanto empunha uma espada e utiliza uma armadura - bem diferente da típica princesa Disney.

Apesar do cunho feminista, e do sucesso junto do público, o filme foi massacrado pela crítica, sendo considerado um dos piores filmes de Tim Burton.

4. À Procura de Dory (2016) – €915 milhões

A sequela de À Procura de Nemo, um dos filmes de animação mais bem sucedidos e aclamados de sempre, conseguiu superar os valores de bilheteira do filme original, quando se propôs a contar a história de origem de Dori, um peixe fêmea com problemas de memória. A apresentadora Ellen DeGeneres empresta a voz a Dori, contratada devido ao facto de na sua sitcom “mudar de assunto pelo menos cinco vezes antes de acabar uma frase.”

Uma cena muito debatida antes de o filme estrear foi o facto de haver um casal de lésbicas. No entanto, apesar de o suposto casal aparecer (uns segundo) no filme, nunca é referida ou insinuada a sua sexualidade. Muitos fãs acharam que esta foi uma oportunidade perdida para estrear o primeiro casal homossexual num filme da Disney, tendo em conta que é pública a relação de Ellen com a atriz Portia de Rossi.

3. Bela e o Monstro (2017) - €1 124 mil milhões

Mais uma adaptação da Disney, desta vez um live action do clássico de animação, com o mesmo nome que estreou em 1991 e que se tornou o primeiro filme de animação de sempre a ser nomeado para o Oscar de melhor filme (que não venceu).

Com uma longa produção, que teve início no ano de 2014, e um orçamento que esteve algures entre os €140 milhões e os €225 milhões, o filme foi um sucesso gigantesco, tornando-se o 14º filme mais bem sucedido de sempre nas bilheteiras mundiais, além de arrecadar duas nomeações para Oscar (melhor guarda-roupa e melhor direção de arte).

Emma Watson foi a primeira escolha dos estúdios da Disney para interpretar o papel, tornando-a mais “proativa” e não apenas mais uma “princesa perfeita”. As diferenças são sentidas à partida pelas roupas utilizadas: Bela usa botas em vez de saltos altos. “Ela não ia ser capaz de fazer nada útil se continuasse a usar sapatos de ballet no meio daquela vila francesa”, explicou Emma Watson. Esta adaptação também imagina a personagem como inventora e professora.

2. Frozen (2013) - €1 1136 mil milhões

Um autêntico fenómeno no Séc. XXI, Frozen é o filme de animação que mais rendeu na bilheteira. Venceu o Oscar de Melhor Filme de Animação e de Melhor Canção Original, levou à criação de livros e jogos, uma curta-metragem, um espetáculo na Broadway e já tem sequela marcada (para estrear em novembro).

Frozen, que tinha sido proposto para desenvolvimento pela primeira vez em 1937, conta a história de Anna, uma princesa que, com a ajuda de um homem da montanha, a sua rena e um boneco de neve, parte à procura da irmã, Elsa, cujos poderes de gelo relegaram o seu reino a um inverno eterno. As atrizes responsáveis por emprestar a voz às personagens foram Kristen Bell e Idina Menzel, no papel de Anna e Elsa.

Este foi um marco na filmografia da Disney, que resultou na mudança do papel das personagens centrais femininas nas narrativas dos filmes, que neste caso conseguem controlar o seu próprio destino sem precisar de um príncipe que as salve.

1. Guerra das Estrelas: O Despertar da Força (2015) - €1 820 mil milhões € - Os Últimos Jedi (2017) - €1 172 mil milhões - Rogue One (2016) – €929 milhões

Para número um da lista escolhemos três filmes do franchise de A Guerra das Estrelas - que se estivessem separados ocupavam o primeiro, segundo e quarto lugar.

O Despertar da Força e os Últimos Jedi fazem parte da nova trilogia do Universo Guerra das Estrelas, sequelas da saga original, e Rogue One é um spin-off cuja ação se passa antes dos primeiros filmes.

Os três são protagonizados por mulheres: Daisy Ridley, no papel de Rey, e Felicity Jones como Jyn Erso, em Rogue One.

A opção de apostar em mulheres nesta nova geração de A Guerra das Estrelas é uma das revoluções do cinema moderno - a prova de que era possível bater recordes de bilheteira com projetos encabeçados por mulheres.

ASSINE AQUI A VISÃO E RECEBA UM SACO DE OFERTA