Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

As "várias maneiras de amar" de Luísa Sobral

Rosa é já o quinto álbum de Luísa Sobral. Composto e gravado sob o signo da sua filha, nascida em maio, que deu nome ao disco, conta com a produção discreta e certeira do espanhol Raúl Refree

André Moreira

André Moreira

Jornalista Multimédia

O universo musical de Raúl Refree (nome artístico do músico catalão Raúl Fernandez Miró) é tão vasto que já o fez colaborar de perto com Lee Ranaldo (Sonic Youth), Josh Rouse, Rosalía ou Silvia Pérez Cruz. Foram, precisamente, os dois álbuns que produziu para esta cantora espanhola que chamaram a atenção de Luísa Sobral e que o levaram a produzir o seu novo disco.

Rosa, com onze composições de Luísa Sobral (uma delas, Só um Beijo, interpretada em dueto com o irmão, Salvador Sobral), todas com letra em português, afasta a cantora e escritora de canções do universo jazzístico e anglófono dos primeiros discos e aproxima-a mais da música popular portuguesa (não falta sequer um quase fado: Mesma Rua, Mesmo Lado). Em comum, todas as canções vão dar, de um modo ou outro, a um mesmo assunto: os afetos, as "várias maneiras de amar".

"O amor é um assunto infinito, vou ter sempre histórias para contar", diz uma romântica Luísa Sobral à VISÃO.

LEIA A ENTREVISTA DE LUÍSA SOBRAL NA VISÃO DESTA SEMANA