Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

E a pior descrição de sexo na literatura em 2017 é...

Cultura

Na 25.ª edição do concurso Bad Sex in Fiction (mau sexo em obras de ficção), a revista britânica Literary Review atribuiu o prémio que nenhum escritor quer receber ao romancista americano Christopher Bollen. É o que dá comparar a pele de uma mulher a manchas na banheira, entre outras pérolas. O melhor é ler - ou talvez não

O terceiro romance do americano Christopher Bollen, The Destroyers, é o grande vencedor do indesejado troféu Bad Sex in Fiction, atribuído, desde 1993, pela revista literária britânica Literacy Review à pior descrição de sexo em obras de ficção.

O júri rendeu-se este ano à passagem em que o protagonista deste romance, o americano Ian Bledsoe, se envolve com uma ex-namorada, Charlie Konstantinou, na ilha grega de Patmos. A cena 'escaldante' é assim descrita por Bollen:

"Ela cobre os seios com o seu fato de banho. O resto dela permanece deleitavelmente exposto. A pele dos seus braços e ombros são sombras diferentes de bronzeado como manchas de água numa banheira. O seu rosto e vagina competem pela minha atenção, por isso olho para o triângulo de bilhar do meu pénis e testículos".

Se chegará para o Nobel ver-se-á mais tarde, mas esta distinção, que visa premiar "descrições de cariz sexual mal escritas, superficiais e redundantes", já ninguém lha tira.