Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

O homem que mordeu a comédia

Cultura

Ivo Canela apaixonado por uma dinossaura cor-de-rosa no filme Refrigerantes e Canções de Amor

DR

No novo filme de Luís Galvão Teles, Refrigerantes e Canções de Amor, que se estreia na próxima quinta-feira, 25, há romances e traições, invejas e equívocos, alegrias e surpresas. E acima de tudo um argumentista com a imaginação à solta e problemas pessoais para resolver. Na sua primeira colaboração com o cinema, Nuno Markl quis ver corações, sem ver caras. E não se saiu mal

Uma dinossaura cor-de-rosa, um duo musical que se separa, duas carreiras a solo com destinos muito diferentes, canções para anúncios publicitários, técnicas de engate a partir de carrinhos de compras, supermercados com DJ de serviço, assassinos a soldo, amigos imaginários, amores cruzados e traídos e Sérgio Godinho e Jorge Palma transformados em atores. Assim se faz Refrigerantes e Canções de Amor, de Luís Galvão Teles, com argumento de Nuno Markl, que aqui assina a sua primeira colaboração na sétima arte. Mais um filme a provar que o cinema português tomou gosto à divina comédia. Românticas, dramáticas, burlescas, negras, conceptuais, de costumes ou de bilheteira, não faltam projetos com risos e sorrisos nos próximos meses. Conheça três, os dois primeiros prontos a estrear, o último em rodagem.

A Mãe É Que Sabe, de Nuno Rocha
À mesa, uma família come bacalhau com natas. Nada de muito original, tendo em conta os hábitos alimentares dos portugueses. Mas a certa altura o inesperado acontece: a matriarca começa a ter visões, imagens de uma realidade paralela. Quão diferente podia ter sido a sua vida se naquele tempo ou naquele outro tivesse feito isto ou talvez aquilo? Primeira longa-metragem do realizador das curtas 3x3 e Vicky and Sam.

Índice Médio de Felicidade, de Joaquim Leitão
Mais próximo da trágico-comédia do que da comédia, o novo filme de Joaquim Leitão promete sequências memoráveis, pois o drama que Daniel vive é dos que fazem chorar e rir ao mesmo tempo. Desempregado, num país em queda e em crise, ele nunca compreendeu muito bem os amigos, nem os Outros. Ainda assim não desiste de os ajudar. O argumento adapta o romance homónimo de David Machado.

Mulheres, de Leonel Vieira
Embalado pelos recentes êxitos de bilheteira, Leonel Vieira promete não abrandar o ritmo. Nos dois últimos anos deu nova vida a três clássicos da comédia portuguesa, Pátio das Cantigas, O Leão da Estrela e Canção de Lisboa (produziu os três e realizou os dois primeiros). Com versões para sala e para televisão, são dos filmes mais vistos do cinema português. Mulher é a sua nova incursão na comédia. Ela quer mudar a sua vida e, em desespero de causa, pede ajuda a Deus. Pecado fatal.

LEIA A REPORTAGEM COMPLETA SOBRE REFRIGERANTES E CANÇÕES DE AMOR NA VISÃO DESTA SEMANA, QUINTA FEIRA NAS BANCAS

DISPONÍVEL TAMBÉM: