Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Andar, falar e criar pela ilha

Cultura

Durante duas semanas, mais de 60 criadores e coletivos artísticos portugueses e estrangeiros participaram na quinta edição do festival de arte pública Walk&Talk, em São Miguel, nos Açores, que terminou no dia 1 de agosto. VEJA AS FOTOS

Os arquitetos Giacomo Mezzadri e Joana Oliveira, do Mezzo Atelier, conceberam, este ano, o interior da Galeria do Walk & Talk, em Ponta Delgada, onde funciona o quartel-general do festival. «The Big Horn» é uma estrutura de madeira a fazer lembrar um megafone
1 / 17

Os arquitetos Giacomo Mezzadri e Joana Oliveira, do Mezzo Atelier, conceberam, este ano, o interior da Galeria do Walk & Talk, em Ponta Delgada, onde funciona o quartel-general do festival. «The Big Horn» é uma estrutura de madeira a fazer lembrar um megafone

O argentino Pastel pintou a empena de um prédio na marginal de Ponta Delgada, onde estava, já bastante desgastada, uma parte da intervenção dos ARM Collective, feita em 2011, na primeira edição do festival. Há quem diga que a parede está mais bonita agora, há quem diga que nem por isso – mas, como sempre, ninguém fica indiferente
2 / 17

O argentino Pastel pintou a empena de um prédio na marginal de Ponta Delgada, onde estava, já bastante desgastada, uma parte da intervenção dos ARM Collective, feita em 2011, na primeira edição do festival. Há quem diga que a parede está mais bonita agora, há quem diga que nem por isso – mas, como sempre, ninguém fica indiferente

Miguel Januário, com o seu projeto MaisMenos, concebeu o Voicycle, uma bicicleta com uma grade de polícia e megafones, que levou pelas ruas de Ponta Delgada
3 / 17

Miguel Januário, com o seu projeto MaisMenos, concebeu o Voicycle, uma bicicleta com uma grade de polícia e megafones, que levou pelas ruas de Ponta Delgada

Mister Mourão AKA Vasco Mourão começou por ser arquiteto. Agora, desenha a caneta sobre papel cidades e arquiteturas imaginárias. Mesmo ao lado da galeria do festival, deixou uma peça que ocupa paredes falsas e duas colunas de pedra, em tons de azul e vermelho.
4 / 17

Mister Mourão AKA Vasco Mourão começou por ser arquiteto. Agora, desenha a caneta sobre papel cidades e arquiteturas imaginárias. Mesmo ao lado da galeria do festival, deixou uma peça que ocupa paredes falsas e duas colunas de pedra, em tons de azul e vermelho.

Em Rabo de Peixe, Vhils e a sua equipa transformaram o velho barco de pesca Leonardo, descobrindo as camadas de madeira para lá da tinta verde-água e azul, e dando-lhe uma espécie de cabine, feita com portas e madeiras resgatadas por ali, onde se vêm rostos de moradores que o artista fotografou há dois anos na terceira edição do Walk & Talk
5 / 17

Em Rabo de Peixe, Vhils e a sua equipa transformaram o velho barco de pesca Leonardo, descobrindo as camadas de madeira para lá da tinta verde-água e azul, e dando-lhe uma espécie de cabine, feita com portas e madeiras resgatadas por ali, onde se vêm rostos de moradores que o artista fotografou há dois anos na terceira edição do Walk & Talk

As linhas pretas e brancas que deixa nas paredes já são a imagem do trabalho de Jacopo Ceccarelli. Nascido em Milão, foi em São Paulo que começou a assinar como 2501, a data do seu aniversário. Em São Roque, pintou a dourado, numa parede, as nove ilhas açorianas
6 / 17

As linhas pretas e brancas que deixa nas paredes já são a imagem do trabalho de Jacopo Ceccarelli. Nascido em Milão, foi em São Paulo que começou a assinar como 2501, a data do seu aniversário. Em São Roque, pintou a dourado, numa parede, as nove ilhas açorianas

Chama-se À Deriva a peça que o artista plástico Rodrigo Oliveira criou para o Walk & Talk: um colchão de pedra, que pode ser «experimentado» nas Portas do Mar, em Ponta Delgada
7 / 17

Chama-se À Deriva a peça que o artista plástico Rodrigo Oliveira criou para o Walk & Talk: um colchão de pedra, que pode ser «experimentado» nas Portas do Mar, em Ponta Delgada

Na Rua da Solidariedade, na Lagoa, na grande empena da casa da D. Graça estão agora desenhados dois dos seus filhos, Rodrigo e João, e o vizinho Cláudio. O sul-africano Freddy Sam deixou ali um desenho a preto e branco que quase parece uma fotografia dos três rapazes no mar
8 / 17

Na Rua da Solidariedade, na Lagoa, na grande empena da casa da D. Graça estão agora desenhados dois dos seus filhos, Rodrigo e João, e o vizinho Cláudio. O sul-africano Freddy Sam deixou ali um desenho a preto e branco que quase parece uma fotografia dos três rapazes no mar

Na exposição Gente Feliz Com Lágrimas, patente durante as duas semanas do festival na galeria do Walk&Talk, os artistas plásticos João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira juntaram trabalhos de 18 outros artistas portugueses, resgatando peças já criadas e encomendando outras que fizessem sentido nesta mostra com o título do romance de João de Melo
9 / 17

Na exposição Gente Feliz Com Lágrimas, patente durante as duas semanas do festival na galeria do Walk&Talk, os artistas plásticos João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira juntaram trabalhos de 18 outros artistas portugueses, resgatando peças já criadas e encomendando outras que fizessem sentido nesta mostra com o título do romance de João de Melo

O americano  Christopher Derek Bruno mergulhou nos trilhos das Furnas e deixou por entre a vegetação várias esculturas de madeira, que acentuam a sensação de paz que se experiencia por ali
10 / 17

O americano  Christopher Derek Bruno mergulhou nos trilhos das Furnas e deixou por entre a vegetação várias esculturas de madeira, que acentuam a sensação de paz que se experiencia por ali

Na Tipografia Micaelense, os designers Nuno Coelho e Nuno Neves conceberam novas imagens para as embalagens dos chás Gorreana, feitas com carateres tipográficos móveis. O objetivo agora é lançar uma edição exclusiva do Walk & Talk, com uma gravura e quatro pacotes diferentes de chás pretos e verde
11 / 17

Na Tipografia Micaelense, os designers Nuno Coelho e Nuno Neves conceberam novas imagens para as embalagens dos chás Gorreana, feitas com carateres tipográficos móveis. O objetivo agora é lançar uma edição exclusiva do Walk & Talk, com uma gravura e quatro pacotes diferentes de chás pretos e verde

À semelhança do que já vem fazendo noutros lugares desde 2009, o italiano Filippo Minelli espalhou as suas «Silence/Shapes» pela ilha de São Miguel
12 / 17

À semelhança do que já vem fazendo noutros lugares desde 2009, o italiano Filippo Minelli espalhou as suas «Silence/Shapes» pela ilha de São Miguel

Natural de Ponta Delgada, a bailarina e coreógrafa Ana Cosme deixou uma enorme manta de retalhos pendurada num dos prédios da avenida marginal da cidade. O trabalho foi concebido pela artista para a cenografia da sua coreografia de 2014, Retalhos
13 / 17

Natural de Ponta Delgada, a bailarina e coreógrafa Ana Cosme deixou uma enorme manta de retalhos pendurada num dos prédios da avenida marginal da cidade. O trabalho foi concebido pela artista para a cenografia da sua coreografia de 2014, Retalhos

O americano Brad Downey deixou no fundo do mar açoriano uma bola feita de vime, «recheada» com o ar de vários habitantes da ilha
14 / 17

O americano Brad Downey deixou no fundo do mar açoriano uma bola feita de vime, «recheada» com o ar de vários habitantes da ilha

Nas últimas edições do Walk & Talk, o 37.25 – Núcleo de Artes Performativas, composto por bailarinos de São Miguel, tem feito sempre uma residência artística com um coreógrafo português. Este ano, foi Luís Guerra quem a eles se juntou. No final, apresentaram Espectro, uma coreografia em tom de verde, de movimentos precisos
15 / 17

Nas últimas edições do Walk & Talk, o 37.25 – Núcleo de Artes Performativas, composto por bailarinos de São Miguel, tem feito sempre uma residência artística com um coreógrafo português. Este ano, foi Luís Guerra quem a eles se juntou. No final, apresentaram Espectro, uma coreografia em tom de verde, de movimentos precisos

Raquel André fez uma residência de teatro durante o festival, na preparação para o seu espetáculo Coleção de Amantes, que apresentará no Teatro D. Maria II, em Lisboa, em setembro. Um trabalho sobre encontros de uma artista que se apresenta aqui como «colecionadora de intimidades ficcionadas»
16 / 17

Raquel André fez uma residência de teatro durante o festival, na preparação para o seu espetáculo Coleção de Amantes, que apresentará no Teatro D. Maria II, em Lisboa, em setembro. Um trabalho sobre encontros de uma artista que se apresenta aqui como «colecionadora de intimidades ficcionadas»

Miguel Flor comissariou uma residência artística de artesanato, com Júlio Dolbeth, Célia Esteves, Susana Bettencourt, Carolina Brito, Rui Freitas e artesãos de São Miguel, como o senhor João, que trabalha o vime
17 / 17

Miguel Flor comissariou uma residência artística de artesanato, com Júlio Dolbeth, Célia Esteves, Susana Bettencourt, Carolina Brito, Rui Freitas e artesãos de São Miguel, como o senhor João, que trabalha o vime

Street art, performances, concertos, exposições e residências artísticas de dança, teatro, artesanato, design, fotografia, arquitetura e som espalharam-se pela ilha, naquele que já é um dos mais importantes acontecimentos culturais do arquipélago. Para o ano há mais, esperamos - até lá, ficam as imagens de uma amostra do muito que por ali se passou.